RADAR DO DIA: Preocupação persiste em meio a ações de estímulos

299

São Paulo – A semana começa com preocupações em relação ao Covid-19, nome da doença do novo coronavírus que se ampliou por aqui e na Europa, principalmente na Itália, país onde concentra boa parte dos infectados, embora iniciativas de alguns países tem reanimado os investidores. Além disso, estão no radar a Super Terça nos Estados Unidos e a volta do Congresso brasileiro.

O governo brasileiro confirmou o segundo caso do coronavírus no país. Ambos são de pessoas que viajaram para a Itália. Os casos suspeitos também cresceram, passando de 182 na sexta-feira para 252 no domingo.

O segundo paciente infectado pelo coronavírus no Brasil é um homem de 32 anos que mora em São Paulo (SP) e foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein na sexta-feira (28). Ele chegou de Milão, na Itália, na última quinta-feira, e tinha manifestado sintomas.

Na China, epicentro do surto, o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus supera os 80 mil casos. Na Itália, país europeu onde a doença avançou rapidamente, havia registrado de mais de 1 mil casos no sábado. O governo italiano vai injetar 3,6 bilhões de euros para tentar minimizar os impactos na economia.

Na sexta-feira, o Ibovespa encerrou em alta de 1,15%, aos 104.171,57 pontos, mostrando maior resiliência do que as bolsas no exterior depois que autoridades tentaram minimizar os impactos do surto de coronavírus e o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reiterou que pode agir se necessário.

Os mercados asiáticos, por sua vez, fecharam o primeiro pregão de março em alta, após o presidente do Banco do Japão (BoJ) afirmar que a instituição promoverá ampla liquidez nos mercados. O mercado europeu opera em elevação diante do anúncio de que o Eurogrupo fará uma reunião esta semana para discutir medidas de apoio aos países mais atingidos pelo coronavírus.

Os mercados futuros norte-americanos, por sua vez, sobem na esteira do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) afirmar estar atento ao coronavírus e de ações nos países asiáticos e europeus.

Além disso, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduziu a previsão para o crescimento da economia mundial em 2020 de 2,9% para 2,4%, citando como justificativa os efeitos negativos do surto de coronavírus sobre a atividade mundial. Na China, epicentro da doença, o órgão espera que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 4,9%, ou 0,8 ponto porcentual (pp) a menos do que previa em novembro do ano passado.

Internamente os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC), no relatório de mercado Focus, reduziram a previsão para a inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano pela nona vez seguida, de 3,20% para 3,19%. A economia brasileira também deve redução, passando de 2,20% para 2,17%.

EMPRESAS

A Eneva, controlada pelo BTG Pactual e pela família Moreira Sales, afirmou que o seu conselho de administração aprovou uma proposta de fusão com a AES Tietê que visa a unificação das bases acionárias em uma única companhia aberta listada no Novo Mercado da B3.

A CVC Viagens informou que a empresa constatou, em uma avaliação preliminar, indícios de erros na contabilização de valores transferidos aos fornecedores de serviços turísticos referentes às receitas próprias de tais fornecedores.

A Vale informou que a Samarco e a Fundação Renova discutem na 12a Vara Federal de Belo Horizonte os atrasos e ou multas no valor de R$ 46 milhões referente a dragagem na usina de Candonga.

A YOU Incorporadora solicitou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um pedido de registro de oferta pública primária e secundária de ações ordinárias e conversão de valores mobiliários da categoria B para A, além do pedido de listagem das ações ordinárias no Novo Mercado da B3.

A Hypera disse que celebrou acordo com a Takeda Pharmaceutical International para aquisição de 18 selecionados medicamentos isentos de prescrição (OTC) e de prescrição na América Latina pelo preço de US$ 825 milhões.

A Petrobras estendeu até o dia 05 de março o prazo para envio de documentos previstos no teaser da venda das concessões BM-PAMA-3 e BM-PAMA-8, localizadas na Bacia do Maranhão.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu que em março a bandeira tarifária será verde, sem custo extra para o consumidor.

O conselho de administração do Banco do Brasil (BB) aprovou a distribuição de R$ 517,4 milhões aos acionistas a título de juros sobre capital próprio (JCP) relativos ao primeiro trimestre deste ano.

A BR Distribuidora recebeu R$ 36,9 milhões da Eletrobras, referente à 22 parcela da confissão de dívida da empresa de energia elétrica com a BR. Desta maneira, a Eletrobras já pagou o total de R$ 4,312 milhões.

A Localiza finalizou em 20 de fevereiro o leilão de 6,215 mil ações ordinárias resultantes de fracos da bonificação de ações. O valor apurado no leilão será dividido proporcionalmente entre os titulares das frações, totalizando o equivalente a R$ 54,588809 por ação. O valor correspondente será creditado no dia 06 de março de 2020.

A Suzano Trading exerceu seu direito de regatar a totalidade do saldo de US$ 189,6 milhões em bonds emitidos pela subsidiária e garantidos pela Suzano com juro de 5,875% ao ano e vencimento em 2021. Os detentores dos bonds já foram comunicados pela empresa e o resgate ocorrerá em 30 de março.