RADAR DO DIA: Prejuízo da Gol supera R$ 2 bi; Bolsonaro “no limite”

159
Gráfico

São Paulo – Os investidores devem ficar atentos aos resultados da GOL e a ações do setor aéreo em geral, depois que a companhia reportou prejuízo de mais de R$ 2 bilhões no primeiro trimestre. O funcionamento da companhia foi normal durante a maior parte deste período, visto que as restrições ao tráfego aéreo começaram apenas em março.

Além disso, na reunião anual dos acionistas da Berkshire Hathaway, o megainvestidor Warren Buffett disse que a empresa vendeu toda a participação nas quatro principais companhias aéreas dos Estados Unidos – Delta Air Lines, Southwest Airlines, American Airlines e United Airlines. A Berkshire possuía participações de cerca de 10% em cada uma.

Buffett disse que vê o caminho da recuperação para o setor aéreo como longo, e que as empresas podem se encontrar com mais aviões do que precisam se os consumidores demorarem a voltar para o ar.

Ainda em âmbito corporativo, o lucro líquido da BB Seguridade caiu 12,9% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, a R$ 882,7 milhões, enquanto a Embraer confirmou que pode economizar cerca de R$ 1 bilhão caso haja redução de entregas de aeronaves em 2020.

No lado político, o presidente Jair Bolsonaro disse, ao participar de uma manifestação a favor de seu governo e contrário ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Congresso neste fim de semana, disse que o Executivo está “no limite” e que “não tem mais conversa”, aparentemente referindo-se à relação entre o Planalto e os outros poderes.

O ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou depoimento no sábado (2) à Polícia Federal a respeito da acusação de que o presidente Jair Bolsonaro estaria tentando obter informações da organização em benefício próprio.

O depoimento de Moro ainda não consta dos autos do inquérito 4831 no Supremo Tribunal Federal (STF), mas alguns veículos de imprensa tiveram acesso a informações apresentadas por Moro aos policiais – entre elas a de que Bolsonaro ameaçou demiti-lo durante uma reunião com outros ministros em 22 de abril.

Entre os indicadores divulgados mais cedo, o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor industrial da zona do euro caiu para 33,4 pontos em abril – menor nível já alcançado desde que a série histórica começou, em junho de 1997 – após atingir 44,5 pontos em março, de acordo com dados revisados divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

A versão preliminar havia mostrado queda para 33,6 pontos. Leituras acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração.