RADAR DO DIA: Baixa liquidez dará o tom com feriado EUA

Gráfico

São Paulo – O último pregão da semana deve ser de baixa liquidez diante do feriado nos Estados Unidos, que mantêm as bolsas fechadas. Porém, o medo de uma segunda onda da doença em regiões da Europa e dos Estados Unidos e o receio geopolítico envolvendo as duas maiores potenciais do mundo permaneçam e deve deixar os negócios voláteis.

Nem mesmo a notícia positiva do sucesso da possível vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Pfizer em parceria com BioNTech é capaz de animar os investidores. Isso porque os casos diários do coronavírus nos Estados Unidos alcançaram um novo recorde, avançando em 52,3 mil em um dia, depois da alta de 51,3 mil reportada ontem, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Com isso, os investidores digerem o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços da China que subiu para 58,4 pontos em junho, de 55,0 pontos em maio, de acordo com dados do instituto de pesquisas IHS Markit e do grupo de mídia Caixin.

Ainda nos Estados Unidos, a guerra comercial com a China acendeu um sinal de alerta após o parlamento chinês aprovar nova lei destinada a anular ameaças à segurança nacional em Hong Kong, alimentando assim o conflito geopolítico.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia ameaçado impor sansões à China se a ofensiva fosse adiante e o Reino Unido cogitou receber os cidadãos locais de sua ex-colônia que não queiram ficar sob o domínio chinês.

Além disso, o país está considerando novas tarifas para aproximadamente US$ 3,1 bilhões em produtos da França, Alemanha, Espanha e Reino Unido, de acordo com um documento do Escritório de Representação Comercial norte-americano.

Na cena local, a aprovação pelo Senado do projeto de lei (PL) das fake news que pode atingir aliados e defensores do presidente Jair Bolsonaro continua no radar. O projeto aprovado gerou reação imediata do presidente que falou que não deve vingar, enquanto deputados afirmaram que o texto aprovado promove a censura.

Os desdobramentos relacionados a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro pode mexer nos negócios. A principal dúvida neste caso é o fato de Queiroz ter sido encontrado num imóvel de Frederick Wassef, advogado próximo da família Bolsonaro que chegou a dizer em entrevistas à imprensa não saber onde estava o ex-assessor.

No âmbito político, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) denunciou o ex-governador e atual senador José Serra e sua filha, Verônica Allende Serra, por lavagem de dinheiro. A acusação é de que entre 2006 e 2007 ele usou o cargo e influência política para receber, da Odebrecht, pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul.

Em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus, o número de mortes no mundo está em mais de 521 mil pessoas, de acordo com a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins, enquanto o número de casos no mundo já ultrapassou 10,8 milhões de infectados. O Brasil possui 1,496 milhão de casos confirmados, enquanto 61,884 mil pessoas morreram por causa da doença.

Ontem, o Ibovespa encerrou em alta de 0,03%, aos 96.234,96 pontos, anulando os ganhos ao longo do pregão com investidores aproveitando para embolsar lucros em meio ao aumento de casos de coronavírus em estados norte-americanos.

Com feriado local, as bolsas norte-americanas estão fechadas. Na Europa, por sua vez, as principais bolsas operam no negativo mesmo diante de dados de serviço da China mostrarem certa recuperação, mas olhando apenas para o aumento de número de coronavírus nos Estados Unidos.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações fecharam em alta, refletindo o otimismo com a recuperação da economia global, depois de dados positivos dos Estados Unidos e da China, enquanto os investidores aguardam novos estímulos de Pequim.

EMPRESAS

Os Programas de Desligamentos Voluntários (PDVs) e Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI), implementados pela Petrobras como parte das ações de resiliência, teve a adesão de 10.082 inscrições, o que representa 22% do quadro de funcionários atual da companhia.

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que a subsidiária Copel Distribuição decidiu aderir à Conta-Covid junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no valor total de R$ 869,5 milhões, sendo que, no mês passado, a empresa solicitou antecipação de R$ 536,3 milhões, o qual fez parte do seu reajuste tarifário.

A Copel Distribuição, subsidiária da Companhia Paranaense de Energia (Copel), iniciará o processo de habilitação da exclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da base de cálculo do PIS/Cofins, perante a Receita Federal, estimado, de modo preliminar, em até R$ 5,8 bilhões.

A assembleia geral ordinária da BR Malls aprovou a reeleição e eleição de membros para compor o conselho de administração até nova assembleia que deliberará sobre as demonstrações financeiras em dezembro de 2021.

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) converteu em processo administrativo um inquérito no qual a BR Distribuidora era uma das empresas investigadas por suposta formação de cartel entre distribuidoras e revendedores de combustíveis.

O conselho de administração da Multiplan aprovou a 8 emissão de debêntures no valor de R$ 200 milhões, em série única, e com vencimento em junho de 2026.

O conselho de administração da TIM Participações aprovou o grupamento da totalidade das 42.296.789.606 de ações ordinárias na proporção de 100 ativos para formar 1 ação ordinária.

O conselho de administração da distribuidora de energia Equatorial Maranhão aprovou a eleição de Firmino Ferreira Sampaio Neto para o cargo de presidente do colegiado e de Augusto Miranda da Paz Junior para o cargo de vice-presidente.