RADAR DO DIA: Avanço da covid da Índia e orçamento 2021

São Paulo – As bolsas ao redor do mundo iniciam a semana sem direção única com investidores receosos com o aumento dos casos de covid-19 na Índia. O país agora é o segundo do mundo em número total de infectados, ultrapassando o Brasil, que caiu para a terceira posição. O primeiro lugar ainda é dos Estados Unidos.

Notícias de que o governo central da Alemanha está preparando uma legislação para poder decretar medidas de restrição à circulação sem a necessidade de aprovação de governos regionais também contribuem para as preocupações com a pandemia e para manter as bolsas internacionais em baixa, em sua maioria.

Nos Estados Unidos, o presidente do do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, disse que a economia do país parece estar em um ponto de inflexão, com aceleração da atividade econômica e do emprego na medida em que o combate a pandemia avança. Mas ele reiterou que o banco não deve elevar a taxa básica de juros este ano.

No Brasil, a demora na solução do impasse do orçamento de 2021 – e a troca de acusações públicas entre as autoridades do governo federal – devem pesar sobre a confiança dos investidores, ao diminuir a expectativa de cooperação entre o Executivo e o Legislativo e a aposta na aprovação de reformas.

Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) voltaram a subir a projeção para o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao fim deste ano, de 4,81% para 4,85%. Há um mês, a previsão era de +4,60%. Para 2022, a estimativa oscilou em alta pela segunda vez, de 3,52% para 3,53%.

Já em 2023 e 2024, as projeções foram mantidas em +3,25%, respectivamente, há 39 e há 11 semanas. Ainda no âmbito da inflação oficial, a estimativa para os próximos 12 meses caiu pela quarta semana, passando de 3,97% para 3,89%, de 4,27% há um mês.

Na agenda do dia, destaque para a participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em um evento às 13h.

Em âmbito corporativo, O tráfego total de veículos nas rodovias da Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) entre 2 e 8 de abril registrou aumento de 24%, sendo que os veículos de passeio tiveram alta de 56,2% e o comercial subiu 10%. Sem a ViaSul, o tráfego também registrou elevação, de 22,4% no período, sendo que os leves subiram 53,1% e o comercial avançou 22,4%.

A Hypera vendeu o centro de distribuição da empresa, em Goiânia (GO) para a Newport Logística por R$ 231,4 milhões. O local era dedicado à operação de produtos de consumo da companhia, mas estava alugado para terceiros.

A Minerva anunciou a contratação da BDO RCS Auditores Independentes para a revisão das informações trimestrais da companhia. A empresa substitui a Grant Thornton, que prestou serviços à Minerva por cinco anos.

O Operador Nacional do Sistema (ONS) emitiu o Termo de Liberação de Receitas (TLR) para 100% da Receita Anual Permitida (RAP) do ativo SPE 06, da Equatorial Energia, no valor total de R$ 120,2 milhões.

O conselho de administração da Hapvida aprovou a realização de oferta pública de distribuição primária e secundária de 133.333.334 ações. A quantidade de ações ainda poderá ser acrescida em 35%, cerca de 46.666.666 ações ordinárias a serem emitidas pela
empresa.Com o valor de fechamento das ações da empresa na última sexta-feira (9), que foi de R$ 14,87, o valor arrecadado com a oferta pública, já considerando o acréscimo de 35% no valor inicial, pode ser de R$ 2,67 bilhões.

O conselho de administração da Petrobras aprovou acordo com a União que estabelece as participações da estatal nos contratos de Atapu e Sepia, 39,5% e 31,3%, com compensações líquidas firmes de US$ 3,252 bilhões e US$ 3,200 bilhões à companhia, respectivamente, no caso de licitação dos volumes excedentes da cessão onerosa nos campos. A participação da partilha de produção do novo contratante será de 60,5% em Atapu e de 68,7% em Sepia.

A estatal e sua controlada Gaspetro celebraram um instrumento de transação que permite para pôr fim a litígio judicial pendente com a Termogás. O instrumento permite à Termogás adquirir, por R$ 59,1 milhões, as ações da Gasmar, detidas pela Gaspetro (23,5% do capital social total), alcançando 74,5% de participação na empresa.

Por fim, a Petrobras finalizou a venda da totalidade de sua participação de 49% na sociedade eólica Mangue Seco 1 para a V2I Energia, por R$ 44 milhões.

A Energias do Brasil (EDP) encerrou o programa de recompra de ações da companhia, com a aquisição de 24.164.000 papéis primários, ao preço médio de R$ 18,91 por ação, equivalentes a 8,10% dos ativos em circulação, totalizando, em tesouraria, 26.109.281 ações (10% das ações em circulação. A distribuidora também aprovou o pagamento de R$ 162,4 milhões em juros sobre capital próprio, e de R$ 423,2 milhões em dividendos aos acionistas, até 31 de dezembro.

Em assembleia, os acionistas do BTG Pactual aprovaram o pagamento de R$ 1 bilhão em juros sobre capital próprio, elegeram os membros do conselho de administração da companhia até 2022 e aprovaram o desdobramento das ações da companhia, de forma a receber quatro novas ações para cada uma ação da mesma espécie e classe de que forem titulares, totalizando 11.184.161.224 de ações.

A Ultrapar disse que investirá cerca de R$ 310 milhões para construir um novo terminal no porto de Itaqui (MA), em até cinco anos, por meio de sua subsidiária Ultracargo, após a Tequimar (Terminal Químico de Aratu), empresa do grupo, arrematar a área IQI13 no porto, em certame realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), na última sexta-feira.

O leilão da Antaq arrecadou R$ 216,4 milhões pelo arrendamento de cinco áreas portuárias nos portos de Itaqui (MA) e Pelotas (RS), à Santos Brasil (terminais IQI03, IQI11 e IQ12, em Itaqui), Tequimar/Ultracargo (IQ13, Itaqui) e CMPC Celulose (PEL01, em Pelotas).

O Grupo Fleury, por meio de sua subsidiária integral, Fleury Centro de Procedimentos Médicos Avançados (CPMA) fechou contrato para aquisição de 66,7% da Vita, por R$ 136,8 milhões.

A Vale informou que a Samarco, joint venture da companhia com a BHP no Brasil, ajuizou pedido de recuperação judicial (RJ) em uma das varas empresariais da comarca de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o que evitará que ações já iniciadas e movidas pelos detentores dos títulos de dívida nos Estados Unidos afetem a capacidade de operação da empresa.