RADAR DO DIA: Aprovada reforma da Previdência; atenção a ações da WEG

150

São Paulo – O mercado deve reagir hoje à aprovação do texto principal da reforma da Previdência pelo Senado, decisão que abre caminho para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) seja transformada em lei.

Hoje ainda serão votados dois requerimentos que podem alterar a reforma – que na forma como está economizaria cerca de R$ 800 bilhões aos cofres federais ao longo da próxima década. O primeiro deles é do PT, e prevê que trabalhadores em funções de alta periculosidade também tenham direito a se aposentar com um tempo menor de contribuição.

O governo é contra o destaque e sugeriu abordar este assunto futuramente. No entanto, os senadores ficaram em dúvida se quem trabalha nestas condições possui atualmente direito a algum tipo de aposentadoria especial. Alguns senadores indicaram que, se fosse este o caso, votariam a favor do destaque do PT.

O outro destaque apresentado é da Rede e trata da idade mínima para fins de aposentadoria especial decorrente do exercício de atividade com efetiva exposição a agentes nocivos à saúde.

Ontem, o ministro da Economia, Paulo Guedes, sinalizou que, diante da aprovação da reforma da Previdência, apresentará na semana que vem os detalhes do chamado “pacto federativo” – iniciativa do governo para descentralizar recursos públicos, descarimbar verbas do orçamento e estimular a economia.

No setor corporativo, o lucro líquido da WEG cresceu 9,7% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 418,2 milhões. A receita líquida de vendas da companhia aumentou 3,5% na mesma base de comparação, para R$ 3,349 bilhões.

A empresa também divulgou que começou o projeto para instalar uma nova fábrica de motores elétricos de baixa tensão em Hosur, na Índia. O investimento previsto é de US$ 20 milhões e a unidade conseguirá produzir até 250.000 motores por ano, com potências de até 355 quilowatts (kW).