Queda na receita e câmbio impactam e prejuízo da Embraer aumenta

224
Foto divulgação: Embraer

São Paulo – A fabricante de aeronaves Embraer reportou prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no primeiro trimestre do ano, uma alta de quase oito vezes na comparação com o mesmo período de 2019. O prejuízo líquido ajustado, que exclui IR e contribuição social, foi de R$ 433,6 milhões no período, alta de 88,60% na mesma base de comparação.

Segundo a fabricante, o declínio na receita operacional aliado ao crescimento das perdas cambiais, dada a apreciação substancial do dólar ante o real de 29%, entre o final de 2019 e o final do 1T20, foram os principais fatores para o aumento dos prejuízos.

A receita líquida da companhia totalizou R$ 2,874 bilhões no trimestre, uma queda de 8% na base anual.  O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 47,6 milhões, 60,43% inferior ao visto no mesmo período do ano anterior. O ebtida ajustado subiu mais de duas vezes e somou R$ 319,3 milhões no trimestre na mesma base de comparação.

Em dólar, o prejuízo líquido totalizou US$ 292 milhões, alta de mais de seis vezes na comparação anual, enquanto o prejuízo líquido ajustado subiu 68,28% no primeiro trimestre, para US$ 104 milhões.

Em dólar, a receita líquida caiu 23% no período, para US$ 633,8 bilhões, enquanto o ebitda somou US$ 9,3 milhões no trimestre, queda de 69,90% na mesma base de comparação. O ebitda ajustado somou US$ 64,9 milhões no período, alta de duas vezes ante igual intervalo de 2019.

No período, a geração de caixa livre ajustado ficou negativo em R$ 2,898 bilhões, alta de 16,15% ante igual intervalo de 2019, enquanto a dívida líquida era de R$ 6,923 bilhões, 61% superior ante o mesmo trimestre do ano passado.

Por segmento, a divisão de Aviação Comercial registrou receita líquida de R$ 637,1 milhões, queda de 40,23% na comparação anual, enquanto a Aviação Executiva subiu 30,69% e somou R$ 587,6 milhões na mesma base de comparação.

A área de Defesa & Segurança, por sua vez, obteve receita líquida de R$ 676,4 milhões, queda de 0,52% ante igual período do ano anterior. A divisão de Serviços & Suporte teve alta de 5% na receita, para R$ 966,6 milhões, e o segmento Outros somou R$ 7 milhões.