Proibição de vacina da Johnson não impacta vacinação nos EUA, diz Casa Branca

Foto: Johnson & Johnson

São Paulo — A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que uma possível proibição do uso da vacina contra covid-19 da Johnson & Johnson não impactaria no cronograma de imunização do governo norte-americano.

“Estamos esperando uma posição oficial das reguladoras sobre a vacina, mas o povo norte-americano pode se tranquilizar porque o nosso plano de imunização ocorrerá sem atrasos devido ao estoque de vacinas de outras empresas”, afirmou ela durante coletiva de imprensa.

Neste mês, o uso do imunizante da J&J foi suspenso nos Estados Unidos após a formação de coágulos sanguíneos em pessoas que foram vacinadas com o produto. A Food and Drug Administration (FDA, correspondente à Anvisa no Brasil) deve divulgar sua avaliação ainda nesta semana.

Hoje, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) disse que identificou uma conexão entre a vacina e os casos de trombose. O regulador europeu, contudo, reiterou que o desenvolvimento de coágulos é “muito raro” e que os benefícios da aplicação superam os riscos.