Preço do aluguel residencial em São Paulo sobe 0,80%, diz Secovi

Foto divulgação: USP Imagens

São Paulo – O preço do aluguel na cidade de São Paulo registrou elevação de 0,80% no acumulado entre março de 2020 e fevereiro de 2021, de acordo com o Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Em fevereiro, o preço médio do aluguel teve queda de 0,30%.

Segundo a entidade, a variação ficou abaixo do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas, que registrou alta de 29,94% no mesmo período de comparação, o que indica que o mercado de locação residencial em São Paulo está cada vez mais descolado do índice e segue estável.

Em fevereiro, os imóveis de três quartos tiveram seus valores locatícios reduzidos, em média, em 1,30%, enquanto os de dois dormitórios registraram leva alta de 0,10%, e os de um quarto, tiveram queda de 0,40% no valor de locação.

O fiador foi o tipo garantia mais frequente entre os inquilinos, respondendo por 45,5% dos contratos de locação, seguido pelo depósito de três meses de aluguel, modalidade usada por 39,0% dos locatários e o seguro-fiança foi pedido por 15,5% dos proprietários.

O IVL (Indice de Velocidade de Locação), que avalia o número de dias que se espera até que se assine o contrato de aluguel, indicou que o período de ocupação foi de 24 a 80 dias. Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas e os sobrados, de 24 a 50 dias. Os apartamentos, por sua vez, tiveram um ritmo de escoamento mais lento, de 29 a 80 dias.