Powell reforça postura agressiva do Fed e coloca inflação a 2% como meta

276
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O presidente de Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, reiterou que o objetivo do banco central é baixar a inflação dos Estados Unidos para 2%, o que reforça a ideia de que o Fed deve continuar com sua postura agressiva sobre a taxa básica de juros para conter o aumento de preços.

“Meus colegas e eu estamos fortemente focados em reduzir a inflação até à nossa meta dos 2%. O cumprimento do nosso duplo mandato também depende da manutenção da estabilidade financeira”, disse Powell durante um breve discurso numa conferência em Washington.

Segundo Powell, o compromisso com a estabilidade financeira encoraja a comunidade internacional a segurar e usar dólares, mas o amplo uso da moeda também pode representar desafios de estabilidade financeira que podem afetar famílias, empresas e mercados.

“Por essa razão, o Fed opera instalações de liquidez que servem como impedimentos para que os detentores de ativos em dólar possam estar confiantes de que as tensões serão atenuadas quando esses mercados ficarem sob estresse”, disse ele.

Nos últimos dias a moeda norte-americana atingiu seu maior valor em 20 anos, com o índice da Bloomberg – que compara o dólar com outras 10 divisas rivais – chegando a ficar acima de 104,3, reagindo à política monetária do Fed.

O Fed iniciou um ciclo de subida dos juros em março, com um aumento de 0,25 ponto percentual (pp). Na reunião seguinte, em maio, divulgou um aumento maior: 0,5 pp. Na ocasião, Powell chegou a afastar a possibilidade de optar por uma subida de 0,75 pp e o consenso apontava para que procedesse a mais dois aumentos, de 0,5 pp, nas reuniões de junho e julho. Com a subida da inflação, porém, os membros do Fed optaram pelo aumento mais agressivo.