Ômicron pode desacelerar crescimento temporariamente, diz Fed

Foto: Shutterstock

São Paulo – O aumento de infecções causadas pela variante Ômicron da covid-19 pode desacelerar o crescimento nos próximos meses e prolongar os desafios da cadeia de suprimentos, disse o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Nova York, John Williams, em comentários preparados para um evento virtual organizado pelo Conselho de Relações Exteriores.

Segundo ele, as empresas podem sofrer um impacto no curto prazo conforme consumidores se afastam de atividades presenciais e algumas companhias ainda podem ter dificuldades para encontrar trabalhadores. No entanto, as interrupções podem não ser suficientes para desestabilizar a economia norte-americana, que pode crescer 3,5% este ano.

“Quando a onda da Ômicron diminuir, a economia deve retornar a uma trajetória de crescimento sólido e essas restrições de oferta na economia devem diminuir com o tempo”, disse Williams.

Uma combinação de forte demanda por bens e gargalos de oferta elevou a inflação para níveis “consideravelmente altos”, disse. Entretanto, as pressões de preços podem diminuir à medida que o crescimento desacelera e as restrições de oferta são resolvidas, afirmou ele, acrescentando esperar que a inflação caia para cerca de 2,5% este ano e se aproxime de 2% em 2023.