Não enxergo um problema de dívida externa no mundo, diz Georgieva, do FMI

A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva. (Foto: Stephen Jaffe/FMI)

São Paulo – A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, na afirmou que não enxerga um problema de dívida na maior parte dos países e acredita que, na atual situação, a maioria das nações encontra-se encaminhada para um futuro de crescimento econômico.

“Não enxergo um problema de dívida externa entre os países, acredito que, diferente de algumas vezes no passado, os sistemas financeiros e governamentais estão mais resilientes e o dinheiro investido é necessário para a recuperação”, explicou ela durante coletiva de imprensa.

Georgieva destacou que após a crise financeira mundial de 2008, os países aprenderam que era preciso blindar o sistema bancário contra possíveis choques, mas com a pandemia ficou evidente que esse mesmo trabalho é necessário nas cadeias de suprimento e nos programas fiscais de governo.

“Precisamos focar em melhorar a resiliência de instituições financeiras fora do sistema bancário, fortalecer a infraestrutura governamental de apoio a pessoas em situação de vulnerabilidade e, principalmente, investir em parcerias internacionais”, disse ela.

“Somos tão fortes quanto nosso elo mais fraco. Isso ficou evidente depois da pandemia e acrise financeira causada por ela”, acrescentou a diretora-gerente do FMI.

Ela também destacou a importância de uma economia verde. “Estamos falando sobre a necessidade de mudanças devido a mudanças climáticas há anos. Chegou a hora de pararmos de falar e agirmos: aumentar as taxas de uso de carbono, implementar formas verdes de produção e investirmos em cooperação”, concluiu ela.