MERCADO AGORA: Veja um sumário do comportamento dos negócios

267

São Paulo – Tanto o dólar quanto o Ibovespa operam em alta no pregão desta terça-feira, após encerrarem em queda ontem, diante do acordo comercial entre Estados Unidos e China e realização de lucro por parte dos investidores.

Com isso, o Ibovespa tem um dia de ajustes, se descolando do cenário externo. Às 13h30 (horário de Brasília), o índice tinha alta de 0,25%, aos 112.695,34 pontos. O volume negociado era de R$ 7,044 bilhões.

“O Ibovespa está se ajustando hoje depois de um exercício de opções sobre ações forte e da queda de ontem. Também acredito que está se ajustando a uma ata do Copom um pouco mais dura do que se imaginava”, disse o economista-chefe do banco digital Modalmais, Alvaro Bandeira.

Ontem, as perdas de ações de bancos refletiram em meio a realizações após o porta-voz da presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmar que a equipe econômica do governo ainda analisa assuntos como o de um tributo no formato da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Segundo ele, ainda não há dados mais objetivos para dizer se assunto “vai adiante ou não”.

O dólar comercial, por sua vez, segue em alta ante o real em movimento de correção após a moeda local e de países emergentes fecharem em forte queda ontem, em meio ao otimismo global do anúncio de um acordo comercial preliminar entre Estados Unidos e China.

Às 13h30 (de Brasília), o dólar subia 0,09%, negociado a R$ 4,0660 para venda, depois de oscilar na mínima de R$ 4,0530 (-0,22%) e máxima de R$ 4,0790 (+0,42%).

“É um movimento de correção natural após a forte queda de ontem com a maior percepção de apetite ao risco com a trégua na guerra comercial e localmente, além da queda do risco País em meio à leitura de que investidores estrangeiros devem voltar ao Brasil”, diz o economista da Guide Investimentos, Victor Beyruti.