Lucro líquido da Unidas cresce 44% no 4° trimestre de 2023

195

São Paulo, SP – A Unidas divulgou o balanço do quarto trimestre de 2023 (4T23), com lucro líquido de R$ 37 milhões, alta de 44% em comparação ao mesmo período de 2022. Em
2023, o lucro líquido foi de R$ 256 milhões, alta de 126% em relação a 2022.

No ano de 2023, excluindo-se os efeitos contábeis não recorrentes de reavaliação da frota ocorridos no quarto trimestre, o Ebitda da Unidas evoluiu 131% frente ao ano anterior, chegando a R$ 2,1 bilhões no ano de 2023. Já no 4T23, o Ebitda alcançou R$ 514 milhões.

A margem EBITDA foi de 55,1% no 4T23 e 66,1% em 2023, uma redução de 0,9p.p. e 1,4p.p. comparados aos mesmos períodos de 2022 respectivamente, fundamentalmente impactada no 4T23 pela reavaliação do book value dos ativos da frota de veículos leves, e ao longo de 2023 pela piora no resultado em Venda de Ativos devido à queda de preços dos carros usados.

No primeiro ano das operações integradas entre os negócios de Gestão e Terceirização de Frotas (GTF) e Aluguel de Veículos (RAC), a companhia se destacou pelo crescimento em todos os negócios de locação, além de ter crescido também em venda de ativos, e alcançou receita líquida consolidada de R$ 5,5 bilhões em 2023, 181% superior ao ano anterior.

Da receita líquida total em 2023, R$ 1,4 bilhão resultou da Gestão e Terceirização de Frotas, R$ 1,8 bilhão em Locação de Veículos e R$ 2,3 bilhões em venda de ativos. No 4T23, a receita líquida foi de R$ 1,5 bilhão, aumento de 63%, sendo R$ 392 milhões de GTF, R$ 495 milhões de RAC e R$ 631 milhões de vendas de ativos.

A frota da Unidas cresceu 16% em 2023, com 118 mil ativos. Desse total, 11.721 são veículos pesados, 40.493 veículos leves e 66.252 carros para locação no RAC.

O número de ativos seminovos vendidos no 4T23 foi de 10.260 unidades, um crescimento de 129,8% em comparação ao 4T22, sendo impulsionado pelo crescimento da frota e da taxa de renovação da mesma, principalmente com relação à operação do RAC adquirida
em 2022. Em termos anuais, foram vendidos 39.098 unidades.

O preço médio de venda dos veículos leves cresceu 3,4% no 4T23 em comparação com o 4T22. No ano de 2023, o preço médio de venda aumentou 2,1%. Em veículos pesados e equipamentos, o preço médio apresentou uma redução de 12,3% no 4T23 em comparação com o 4T22. Esta redução se dá principalmente pelo mix dos diversos tipos de veículos e equipamentos que compõem o segmento. A rede de lojas de seminovos cresceu de 27 unidades no final de 2022 para 44 unidades ao final de 2023,

Segundo a companhia, o crescimento da frota foi impulsionado pelo investimento de R$ 5,9 bilhões realizados ao longo do ano, 115% a mais que em 2022. Além disso, houve também R$ 166 milhões investidos em expansão de lojas, reforma das unidades, melhorias e desenvolvimento dos sistemas de informação e outros ativos imobilizados. No 4T23, a Unidas investiu R$ 1,8 bilhão, 22% a mais que no último trimestre de 2022.

“A combinação dos negócios, em outubro de 2022, nos posicionou como a terceira maior empresa de locação de frotas do país e potencializou nossos resultados do ano. Em GTF, estamos otimistas com o segmento de transporte rodoviário, especialmente no setor de caminhões, onde a demanda está aquecida. Em RAC, ampliamos a frota em 13% comparado a 2022 e inauguramos novas lojas em praças estratégicas. Estamos construindo uma companhia cada vez mais sólida, pronta para a continuidade dos negócios e das operações de forma sustentável”, destacou Cláudio Zattar, CEO da Unidas.

A frota do segmento de GTF Leves cresceu 23,5% no 4T23 com relação ao 4T22, impulsionado pelo crescimento do negócio e o lançamento do Unidas Livre, alcançando mais de 40 mil ativos na frota. O crescimento da frota média locada não reflete o mesmo aumento da frota total devido à antecipação de compras de carros no 4T23, inicialmente planejada para 1T24, a fim de capturar oportunidades com condições comerciais atrativas junto às montadoras. O número de diárias no 4T23 cresceu 15,5% em relação ao 4T22, atingindo 2.970 mil diárias, impulsionado pelo crescimento da frota média locada.

A tarifa média diária elevou 25,6% no 4T23 quando comparado ao 4T22 devido à renovação de contratos de anos anteriores em condições de preços de ativos superiores e
precificação contratual baseada em maiores taxas de juros, além de novos contratos nas mesmas condições. Em termos de receita futura contratada, houve um crescimento de 48,2% no 4T23 em relação ao 4T22, superando R$ 1 bilhão. Este crescimento é devido aos contratos renovados e aos novos contratos assinados ao longo de 2023.