Lucro líquido da BB Seguridade cresce 13,7% no 4° trimestre de 2023

130

São Paulo, SP – A BB Seguridade divulgou hoje o balanço do quarto trimestre de
2023, com lucro líquido de R$ 2,1 bilhões, alta de 13,7% na comparação com o mesmo período de 2022.O resultado das participações chegou a R$ 2,05 bilhões, crescimento de 13,6% na comparação ao último trimestre de 2022.

A Brasilseg cresceu 30,2%, chegando a R$ 786 milhões, com evolução dos prêmios ganhos, redução da sinistralidade e do índice de comissionamento e aumento do resultado financeiro.

A contribuição do resultado vindo da Brasilprev foi R$ 48 milhões inferior ao mesmo período de 20222, reflexo do aumento da alíquota de impostos (+19,2 p.p.) no comparativo, uma vez que o resultado do quarto trimestre de 2022 foi favorecido pelo benefício fiscal decorrente do pagamento de JCP e do reconhecimento de crédito tributário decorrente da Lei do Bem, fatores que reduziram significativamente a alíquota daquele trimestre.

O resultado financeiro consolidado fechou em R$ 453 milhões, queda de 0,8% em relação ao último trimestre de 2022. A queda é atribuída em grande parte ao aumento da alíquota efetiva de impostos da Brasilprev, que havia sido favorecida no quarto trimestre de 2022 pelo benefício fiscal decorrente do pagamento de JCP e do reconhecimento de crédito tributário da Lei do Bem. A redução da taxa média Selic também contribuiu para a queda do resultado financeiro, em parte compensada pela marcação a mercado positiva, que beneficiou o resultado financeiro da Brasilprev, e pela
expansão do saldo médio dos ativos financeiros das demais empresas do grupo.

No ano, o resultado financeiro combinado das empresas do grupo cresceu 49,7%. O desempenho é atribuído principalmente à deflação do IGP-M e ao resultado positivo de marcação a mercado, que contribuíram significativamente para a melhora do resultado
financeiro da Brasilprev, além da expansão do saldo médio de ativos da Brasilprev, além da expansão do saldo médio de ativos financeiros nas empresas do grupo e da alta da taxa média Selic.

No quarto trimestre de 2023, o lucro líquido da operação de seguros cresceu 30,1% em
relação ao mesmo período de 2022, com evolução dos prêmios ganhos retidos (+12,2%) e queda da sinistralidade (-2,9 p.p.), que levaram a um resultado operacional não decorrente de juros 32,2% maior no comparativo. O resultado financeiro teve alta de 13,9%, justificada pela expansão do saldo médio de ativos rentáveis e queda da taxa média que atualiza os passivos onerosos.

Os prêmios emitidos recuaram 1,2% ante o mesmo período de 2022, variação explicada pela retração nos ramos: agrícola (-25,5%), em razão da menor demanda e redução da importância segurada média; penhor rural (-7,9%), diante de queda no volume de vendas; e vida (-2,1%), decorrente de retração das renovações em relação ao mesmo período de 2022. Tais efeitos foram parcialmente compensados pela evolução nas vendas e no ticket médio do vida produtor rural (+18,6%).

No quarto trimestre de 2023, o lucro líquido da previdência contraiu 11,4% em relação
ao mesmo período de 2022, alcançando R$ 502,8 milhões. A queda é atribuída ao aumento da alíquota efetiva de impostos (+19,2 p.p.) no comparativo, uma vez que no 4° trimestre de 2022 houve o pagamento de JCP (R$ 307,2 milhões) e o reconhecimento de crédito tributário decorrente de benefício fiscal da Lei do Bem (R$ 12,7 milhões), que reduziram significativamente a alíquota naquele trimestre

No quarto trimestre de 2023, o lucro líquido da operação de capitalização foi 10,2% superior ao registrado no mesmo período de 2022, atingindo R$69,3 milhões. O desempenho é atribuído ao crescimento do resultado financeiro (+27,8%), com expansão do saldo médio de ativos rentáveis e melhora da margem financeira (+0,2 p.p.).

No quarto trimestre de 2023, o lucro líquido da BB Corretora aumentou 1,5% em relação ao mesmo período de 2022, variação que é explicada pela alta de 6,7% do resultado financeiro, decorrente de aumento no saldo médio de aplicações, e retração de 0,6 p.p. na alíquota de imposto efetiva, explicada pelo aumento no volume de doações incentivadas.

PROJEÇÕES

A companhia divulgou suas projeções para 2024, com previsão de crescimento de 5% a 10% no resultado operacional não decorrente de juros A seguradora prevê alta entre 8% a 13% para os prêmios emitidos pela BrasilSeg. Para as reservas de previdência PGBL e VGBL da Brasilprev, a expectativa é crescimento entre 8% e 12%.

DIVIDENDOS

A companhia aprovou a distribuição de R$ 2,455 bilhões a título de remuneração aos acionistas sob a forma de dividendos, referente ao lucro líquido apurado no segundo trimestre semestre de 2023, acrescido do saldo de dividendos prescritos relativos a exercícios passados. O montante por ação é equivalente a R$ 1,25548194703.