Lucro gerencial cresce 10,5% no 1T20, para R$ 3,853 bilhões

169
Foto divulgação: Banco Santander

São Paulo, 28 de abril de 2020 – O lucro líquido gerencial do Santander Brasil cresceu 10,5% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 3,853 bilhões.

O lucro líquido societário, que diferentemente do gerencial inclui resultados extraordinários e a despesa de amortização do ágio ocorrida no período, aumentou 10,5% na mesma base de comparação, para R$ 3,774 bilhões.

A margem financeira bruta, que a partir deste trimestre a empresa passou adotar uma nova abertura, alcançou R$ 12,655 bilhões ao final do primeiro trimestre de 2020, alta de 12,1% na comparação ante igual período de 2019.

Na abertura antiga, a margem financeira bruta mostrava crédito, volume médio e spread, além da captação, volume médio e spread e outros. A nova composição, por sua vez, mostra clientes, margem de produtos, volume médio, spread e capital de giro e a margem com o mercado.

A carteira de crédito ampliada do banco teve alta de 19,8% ao fim do primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 463,4 bilhões.

As despesas com provisão para devedores duvidosos (PDD) cresceram 19,2% no primeiro trimestre em base anual e aumentaram 14,8% na comparação trimestral, somando R$ 3,424 bilhões.

O retorno médio antes de imposto sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) excluindo ágio subiu 1,2 pontos porcentuais (pp) no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para 22,3%. O índice de inadimplência acima de 90 dias ficou em 3% da carteira de crédito, 0,1 pp abaixo do nível observado na comparação anual.