IGP-10 dispara 4,34% em setembro, diz FGV

121
Foto: Svilen Milev / freeimages.com

São Paulo, 16 de setembro de 2020 – O Indice Geral de Preços – 10 (IGP-10) disparou 4,34% em setembro, acelerando-se fortemente em relação à alta já expressiva de 2,53% em agosto, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com isso, o IGP-10 acumula altas de 13,98% no ano de 17,03% em 12 meses, até este mês.

Entre os componentes do indicador, o Indice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) ganhou força e subiu 5,99% em setembro, de +3,38% em agosto; o Indice de Preços ao Consumidor (IPC) praticamente manteve o ritmo de alta, passando de 0,48% no mês passado para +0,46% neste mês, enquanto o Indice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou a 0,80%, de +1,01%, no mesmo período.

Nos estágios do IPA, os bens finais aceleraram a 2,56% neste mês, de +0,86% em agosto, sendo que a maior contribuição veio do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de +2,35% para +5,26%. Os bens intermediários também aceleraram e subiram 3,63% em setembro, de +2,64% no mês passado, enquanto as matérias-primas brutas saltaram de +6,45% para +11,17%, no mesmo período.

Entre os itens de origem, ainda no âmbito do IPA, os produtos agropecuários subiram 8,78% neste mês, de +4,20% no mês passado, enquanto os produtos industriais avançaram 4,95%, de +3,08%, na mesma base de comparação.

Já no âmbito do IPC, seis das oito classes de despesa registraram decréscimo nas taxas de variação de preços em base mensal, com destaque para os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (+0,50% para -0,34%), com destaque para o comportamento do plano e seguro de saúde (de +0,60% para -2,40%).

Entre os componentes do INCC, o índice relativo a materiais, equipamentos e serviços passou de +1,11% em agosto para +1,62% em setembro, enquanto o índice do custo da mão de obra desacelerou de +0,93% para +0,08%, no período.