HSBC e Standard Chartered são acusados de atividade ilícita

143

São Paulo, 21 de setembro de 2020 – As ações do HSBC e Standard Chartered caíram nas negociações da Ásia e do Reino Unido, após relatos da mídia de que os dois bancos e outros moveram fundos suspeitos de ilícitos apesar das bandeiras vermelhas sobre suas origens. As informações são da agência de notícias “Dow Jones”.

As alegações, feitas pelo site de notícias dos Estados Unidos “BuzzFeed News” em colaboração com organizações globais de notícias, incluindo o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês), são baseadas em documentos vazados relacionados a mais de US$ 2 trilhões em transações nas últimas duas décadas, principalmente entre 2011 e 2017.

Os documentos, conhecidos como relatórios de atividades suspeitas, foram registrados por bancos e outras empresas financeiras como a Rede de Combate a Crimes Financeiros (FinCEN, na sigla em inglês) do Departamento do Tesouro dos Estados unidos, sobre transações que eles acreditam que podem fazer parte de crimes financeiros, como lavagem de dinheiro.

“Assumimos nossa responsabilidade de combater o crime financeiro com extrema seriedade e investimos substancialmente em nossos programas de conformidade”, disse o Standard Chartered ao “The Wall Street Journal”. O HSBC disse que “todas as informações fornecidas pelo ICIJ são históricas” e anteriores às conclusões do Departamento de Justiça dos Estados Unidos em 2017 de que havia cumprido os compromissos sob um pacto com a acusação.

Esse acordo, firmado em 2012, exigia que o HSBC combatesse a lavagem de dinheiro em troca de colocar as acusações criminais em espera. O banco disse que passou anos reformulando sua capacidade de combater crimes financeiros. “O HSBC é uma instituição muito mais segura do que era em 2012”, disse o órgão em um comunicado.

As ações do HSBC caíram 5,3%, fechando a 29,30 dólares de Hong Kong. Eles caíram 6,2% para 285,05 libras esterlinas na Bolsa de Londres. As ações da StanChart perderam 6,2%, fechando em 34,90 dólares de Hong Kong, e caíram 5,7% em Londres, para 338,8 libras esterlinas.

“Embora os detalhes dos registros da FinCEN destaquem possíveis irregularidades por parte dos bancos em vários anos, incluindo ter continuado a facilitar transações suspeitas além do preenchimento do relatório de atividades suspeitas original, não está claro para nós que esta notícia representa um novo motivo para punir os bancos envolvidos ou se isso é algo que as autoridades terão tratado anteriormente porque eram informações que eles  já conheciam”, disse o grupo de investimentos do Reino Unido Shore Capital.

As ações de ambos os bancos caíram nas últimas semanas em meio a preocupações dos investidores sobre a diminuição perspectivas de crescimento da receita devido à deterioração das economias globais, com o jornal “Global Times” da China sugerindo hoje que o HSBC pode encontrar seu caminho para a lista de entidades não confiáveis da China.

A FinCEN emitiu uma declaração acrescentando que vê a publicação dos documentos vazados como um crime em si, e relatou a publicação ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos e ao Departamento do Gabinete do Inspetor-Geral do Tesouro do país.