Grupo Soma aprova emissão de R$ 500 mi em debêntures

401

São Paulo, SP – O Grupo Soma informou que sua Assembleia Geral Extraordinária aprovou a terceira emissão de debêntures simples, pela subsidiária Cidade Maravilhosa, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com garantia fidejussória adicional do Grupo Soma.

As debêntures serão emitidas em até três séries, no valor, inicialmente, de R$ 500 milhões, que poderá ser aumentado em até 25%, ou seja, em até R$ 125 milhões, na data de emissão, sendo que as debêntures da primeira série e as debêntures da segunda série terão prazo de vencimento em 11 de fevereiro de 2028; e as debêntures da terceira série terão prazo de vencimento em 13 de fevereiro de 2030.

Segundo o comunicado, as debêntures estão vinculadas à emissão de certificados de recebíveis imobiliários (CRI) integrantes da 138a emissão, em até três séries da Securitizadora, no valor, inicialmente, de R$ 500 milhões, os quais serão objeto de oferta pública de distribuição, sob o rito automático de distribuição, com dispensa de análise prévia.

Por fim, a companhia informou que os recursos obtidos serão utilizados para o pagamento de gastos ainda não incorridos, diretamente atinentes ao pagamento de aluguéis devidos no âmbito de contratos de locação de imóveis listados nos documentos da oferta, bem como de gastos, custos e despesas, de natureza imobiliária e predeterminadas, diretamente atinentes à aquisição e/ou construção e/ou reforma de unidades de negócios, inclusive relacionados a custos incorridos com benfeitorias, nos respectivos imóveis; e reembolso dos gastos já incorridos, anteriormente à emissão dos CRI, incorridos nos 24 meses anteriores à data de encerramento da oferta.

AGENCIA DE RISCO

A agência de classificação de risco S&P Global atribuiu o rating de crédito de emissor de longo prazo brAA+ na Escala Nacional Brasil ao Grupo Soma, com perspectiva estável, indicando que a empresa continuará apresentando sólido crescimento de receita nos próximos anos, com expansão da suas receitas internacionais e manutenção de níveis de
alavancagem confortáveis.

“A perspectiva baseia-se ainda em nossa visão de que a empresa continuará refinanciando seus vencimentos de curto prazo, ao mesmo tempo que aumenta gradualmente o prazo médio de vencimento de sua dívida, proporcionando maior conforto à sua liquidez”, explicou a agência.

O relatório ressaltou ainda que a expectativa é que a companhia feche 2023 com uma receita líquida em torno de R$ 5,3 bilhões , R$ 6 bilhões em 2024 e R$ R$ 7 bilhões em 2025. “Apesar de não considerarmos em nosso cenário-base, acreditamos que o Grupo Soma possa voltar a realizar aquisições estratégicas no futuro, de modo a complementar sua estratégia orgânica e contribuir para a expansão de suas operações.”