Governo e oposição retomam negociações sobre estímulos nos EUA

186
Fachado do Capitólio, em Washington / Foto: Divulgação / Governo britânico

São Paulo – O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, confirmou que conversará na tarde de hoje com a presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi, sobre uma nova rodada de estímulos após meses de paralisação das negociações.

“Vou conversar ainda hoje com Pelosi. Acredito que mais apoio fiscal é necessário e espero que esse apoio seja bipartidário, direcionado e liberado rapidamente”, afirmou ele em audiência no Comitê Bancário do Senado.

De acordo com a imprensa norte-americana, um grupo bipartidário de deputados e senadores norte-americanos deve propor um pacote de US$ 908 bilhões em estímulos. A proposta inclui US$ 288 bilhões em ajuda a pequenas empresas, US$ 160 bilhões em alívio aos governos estaduais e municipais e US$ 180 bilhões para financiar um subsídio de desemprego suplementar de US$ 300 por semana até março.

O plano ainda prevê US$ 16 bilhões na distribuição de vacinas, testes e rastreamento de contatos, canalizaria US$ 82 bilhões para a educação, colocaria US$ 45 bilhões em transporte e alocaria fundos para assistência de aluguel, creche e banda larga.

Falando na audiência, Mnuchin defendeu a realocação dos recursos não utilizados pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que superam US$ 400 bilhões, no novo pacote de alívio. Ele convocou o Congresso a destinar US$ 300 bilhões ao programa de proteção ao pagamento (PPP), que incentiva as pequenas empresas a manter seus funcionários na folha de pagamento.

“A melhor solução para o momento é um pacote de ajuda direcionado”, afirmou Mnuchin, acrescentando que já conversou com o líder da maioria no Senado, o republicano Mitch McConnell, e com o chefe de gabinete, Mark Meadows, além de atualizar o presidente norte-americano, Donald Trump, sobre o assunto.