Gol espera consumo de caixa R$ 2 mi por dia

146
Foto divulgação: Gol Linhas Aéreas

São Paulo – A Gol Linhas Aéreas divulgou os dados preliminares do terceiro trimestre do ano, de forma não auditada, no qual ela amortizou R$ 1 bilhão de dívida no período, com a liquidez total alcançando R$ 2,2 bilhões, composto por R$ 1,5 bilhão em caixa e aplicações e R$ 700 milhões em recebíveis.

A companhia afirmou que contemplando os valores financiáveis de depósitos e ativos não onerados, as fontes de liquidez totalizam aproximadamente R$ 6 bilhões ao final do período.

No âmbito operacional, a receita unitária de passageiro (Prask) deve ser 16% menor no trimestre, assim como a receita unitária (RASK) 13% menor na base anual, enquanto os custos unitários ex-combustíveis (Cask ex-comb) teve um aumento de 9% e o preço médio por litro de combustível no período ficou entre R$ 2,30 e R$ 2,36.

No trimestre, a margem ebtida, excluindo despesas de depreciação e não operacionais relacionados à ociosidade de frota de aproximadamente R$ 900 milhões e despesas não recorrentes de aproximadamente R$ 80 milhões no terceiro trimestre do ano passado, ficou entre 21% a 23%.

A margem ebit, por sua vez, que exclui os mesmos fatores da margem ebitda, deve ficar entre 4% a 6%, enquanto outras receitas, que envolve carga, fidelidade e outras, em 8% no trimestre. A taxa média de câmbio no período foi de R$ 5,38.

A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebitda, foi de aproximadamente 5 vezes no terceiro trimestre. Além disso, a empresa estima um prejuízo por ação e por depositário americano (LPADS) de R$ 3,20 e US$ 1,15, respectivamente.

Além disso, a Gol aumentou a sua oferta para uma média de 270 voos por dia desde o início de setembro, um crescimento de 42% em relação à média de 190 voos diários em agosto. Em dias de pico, a empresa operou 360 voos por dia no mês passado para servir o aumento mensal de 36% na demanda por transporte aéreo.

De acordo com a companhia aérea, as vendas brutas consolidadas nesse mês excederam R$ 800 milhões e a taxa de ocupação média foi de 80%. No início de outubro, a oferta de voos foi ampliada para 400 voos por dia, e espera terminar o mês com 500 voos diários, colocando a operação em aproximadamente 60% da programação de voos de outubro do ano passado.

No atual mês, a expectativa da Gol é operar 93 aeronaves na sua malha e planeja a reabertura de mais três bases operacionais.

No acumulado do ano até setembro, a empresa reduziu sua frota em 10 aeronaves B737 arrendadas e planeja devolver outros quatro aviões até o final de 2020. A empresa reduziu ainda em 34 aviões os recebimentos do Boeing 737 MAX previstos para 2020-2022.

Para o restante do ano, de outubro a dezembro, considerando as receitas estimadas, sem reembolso, os acordos com colaboradores, lessores e fornecedores, e o pagamento integral de despesas financeiras, a Gol prevê um consumo líquido de caixa de R$ 2 milhões por dia.