G-7 diz que usará todas as ferramentas para conter efeito econômico do coronavírus

261
Reunião das autoridades do G-7 (G-7 (grupo composto por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá) / Foto: Casa Branca

São Paulo – Os ministros de finanças do G-7 (grupo composto por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá) afirmaram que irão utilizar “todas as ferramentas apropriadas para alcançar um crescimento forte e sustentável e oferecer proteção contra riscos possíveis” em meio aos efeitos possíveis da epidemia de coronavírus na economia global.

“Nós, ministros das Finanças do G-7 e presidentes de bancos centrais, estamos monitorando de perto a propagação da doença de coronavírus 2019 (Covid-19) e seu impacto nos mercados e condições econômicas”, afirmou o grupo em comunicado publicado pelo departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

Segundo o documento, além de dar maior apoio aos serviços de saúde, os ministros de finanças afirmaram estar “prontos para tomar atitudes, inclusive medidas fiscais, onde for apropriado, para ajudar e apoiar a economia durante esta fase”.

“Os bancos centrais do G-7 irão continuar a cumprir com suas responsabilidades, procurando apoiar a estabilidade de preços e o crescimento econômico enquanto mantém a resiliência do sistema financeiro”, escreveram os representantes.

O grupo também agradeceu o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, além de outras instituições financeiras internacionais, por se colocarem disponíveis para ajudar as economias “por meio do uso de seus instrumentos em sua maior extensão possível”.