EUA suspendem acordos bilaterais de extradição e tarifas com Hong Kong

185
O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo. Foto: Departamento de Estado norte-americano

São Paulo – O departamento do Estado norte-americano anunciou ontem a suspensão de três acordos bilaterias feitos com Hong Kong para extradição e exceção de tarifas. Segundo o órgão, a medida é uma resposta às ações recentes do governo chinês sobre a cidade.

“O decreto do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a Normalização de Hong Kong estabeleceu uma série de respostas às ações de Pequim, incluindo a suspensão e eliminação do tratamento preferencial para Hong Kong”, afirma o comunicado à imprensa do departamento.

Segundo o informe, os acordos suspenso abrangiam a entrega de infratores fugitivos, a transferência de pessoas condenadas e as isenções recíprocas de impostos sobre as receitas provenientes da operação internacional de navios.

“O Partido Comunista Chinês optou por esmagar a liberdade e a autonomia do povo de Hong Kong. Por causa das ações do PCC, estamos rescindindo ou suspendendo três de nossos acordos bilaterais com o território”, de acordo com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em mensagem no Twitter.

“O Partido Comunista Chinês tomou medidas drásticas para erodir o alto grau de autonomia que a própria Pequim prometeu ao Reino Unido e ao povo de Hong Kong por 50 anos sob a Declaração Conjunta Sino-Britânica registrada na Organização das Nações Unidas (ONU)”, diz a porta-voz do departamento, Morgan Ortagus.

“O presidente Trump deixou claro que os Estados Unidos irão, portanto, tratar Hong Kong como ‘um país, um sistema’ e tomar medidas contra indivíduos que esmagaram a liberdade do povo de Hong Kong”, segundo a porta-voz.