Reguladores de saúde dos EUA liberam uso de vacina da Johnson & Jonhson

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – Os reguladores de saúde dos Estados Unidos suspenderam uma pausa recomendada no uso da vacina de dose única contra a covid-19 da Johnson & Johnson, após o relato de formação de coágulos em pessoas inoculadas com o imunizante.

O anúncio dos reguladores norte-americanos ocorre depois que o Comitê Consultivo em Práticas de Imunização do Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, conhecido como ACIP, recomendou o uso contínuo da vacina J&J, dizendo que os benefícios da vacina superavam o risco.

Com um placar de 10 a 4 e uma abstenção, o Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC recomendou a vacina da J&J, cuja aplicação está suspensa desde o último dia 13.

“A vacina é recomendada para pessoas com 18 anos ou mais na população dos Estados Unidos sob a autorização de Uso de emergência da FDA”, disseram os especialistas do comitê.

Os membros do painel não recomendaram que os reguladores dos Estados Unidos restringissem o uso da vacina com base na idade ou sexo, mas propuseram que a Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês) considerasse adicionar um alerta para mulheres com menos de 50 anos.

A recomendação acontece após as autoridades de saúde dos Estados Unidos investigarem casos de seis mulheres, com idades entre 18 e 48 anos, que desenvolveram trombose do seio venoso cerebral, ou CVST, em combinação com baixo teor de plaquetas no sangue cerca de duas semanas após receber a vacina da Johnson & Johnson.

No início desta semana, a Johnson & Johnson disse que retomaria o lançamento de sua vacina na Europa depois que os reguladores locais apoiaram o imunizante de dose única com a recomendação de que um aviso fosse adicionado ao rótulo.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) pesquisou todas as evidências disponíveis, incluindo os relatórios dos Estados Unidos.

Texto atualizado às 20h10.