China critica decisão dos EUA de congelar financiamento à OMS

419

São Paulo – A China criticou a decisão dos Estados unidos de congelar seu financiamento á Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmando que a decisão enfraquece a instituição em um momento crucial de combate à pandemia do novo coronavírus.

“A China expressa sérias preocupações com o anúncio dos Estados Unidos de suspender o financiamento à OMS”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian.

“Como a instituição internacional mais autoritária e profissional no campo da segurança global da saúde pública, a OMS desempenha um papel insubstituível na resposta à crise global da saúde pública”.

Segundo o porta-voz, em coletiva de imprensa, a situação epidêmica global atual é sombria e está em um momento crítico. “Esta decisão dos Estados Unidos enfraquecerá a capacidade da OMS e prejudicará a cooperação internacional na luta contra epidemias. Isso afetará todos os países do mundo, incluindo os Estados Unidos”.

Por fim, o porta-voz disse que a OMS cumpriu suas obrigações e teve um papel central em coordenar ações de combate à covid-19 na comunidade internacional, e a apelou aos Estados Unidos a cumprirem com suas responsabilidades e apoiarem a OMS.

Ontem, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a suspensão do repasse anual dos Estados Unidos de entre US$ 400 milhões e US$ 500 milhões à OMS, acusando-a de gerir mal e de encobrir a crise do novo coronavírus.