Cemig tem Lucro líquido de R$ 963 milhões no 4° trimestre de 2021

480

São Paulo – A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) reportou lucro líquido de R$ 963 milhões no quarto trimestre de 2021, queda de 24,3% na comparação anual. Em todo o ano passado, o lucro líquido somou R$ 3,75 bilhões.
A receita líquida alcançou R$ 9,66 bilhões no período, 32,9% maior que o visto no mesmo período do ano anterior. O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado teve alta de 5,9% no trimestre, para R$ 1,65 bilhão na base anual. Em termos ajustados, o ebitda avançou 30,4%, para R$ 1,49 bilhão no quarto trimestre de 2021.
O maior resultado do ebitda consolidado foi registrado no segmento de distribuição, de R$ 988,5 milhões, um avanço de 113,6% na comparação anual, seguido por geração e transmissão, com R$ 297,5 (-41,5%), enquanto a Gasmig contribuiu com R$ 174,1 milhões (+24,9%).
Ao final do trimestre, a dívida líquida da Cemig era de R$ 8,460 bilhões, queda de 8,2% na comparação anual.
Os custos e despesas operacionais da Cemig subiram 26,6% no quarto trimestre do ano passado, para R$ 8,0 bilhões negativos, ante R$ 6,3 bilhões negativos no 4T20.
O Grupo Cemig atingiu 8,9 milhões de clientes faturados em dezembro de 2021, com crescimento de 188 mil clientes aproximadamente, o que equivale a um aumento de 2,2% na base de consumidores em relação a dezembro de 2020. Deste total, 8.885.708 são consumidores finais e de consumo próprio e 418 são outros agentes do setor elétrico brasileiro.
O investimento em 2021 foi 29,5% superior ao do ano de 2020. O 4T21 foi o trimestre do ano com maior volume de investimentos realizados, totalizando R$ 714 milhões.
DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS
O Conselho de Administração deliberou encaminhar à Assembleia Geral Ordinária que será realizada em abril de 2022, a seguinte proposta de destinação do Lucro Líquido de 2021, no montante de R$ 3,75 bilhões, R$ 1,9 bilhão para pagamento de dividendos aos acionistas, a serem pagos em duas parcelas iguais, sendo a primeira até 30 de junho de 2022 e a segunda até 30 de dezembro de 2022.
Do total, R$ 955,38 milhões declarados a título de juros sobre o capital próprio (JCP) e imputados ao dividendo obrigatório, conforme deliberado pela Diretoria Executiva em 07 de dezembro de 2021; e R$1,011 bilhão declarados como dividendos obrigatórios, fazendo jus os acionistas que tiverem seus nomes inscritos no Livro de Registros de Ações Nominativas na data da realização da AGO.