Carga média de energia deve crescer 3,6% entre 2021-2025, diz ONS

187
Foto: Alain Schroeder/União Europeia

São Paulo – A carga média de energia deve crescer 3,6% por ano entre 2021 e 2025, segundo dados da previsão de carga para o planejamento anual da operação energética divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Em 2021, a carga tem previsão de aumento de 3,4% no SIN, considerando uma elevação do PIB de 3,3%, influenciado pelo carregamento estatístico de 2020.

As principais premissas consideradas para o curto prazo são os impactos da pandemia mais concentrados no segundo trimestre, com recuperação a partir de meados de 2020; as medidas de combate à crise, com o bom desempenho das exportações que ajudaram a reduzir os efeitos negativos da pandemia sobre a atividade econômica e a recuperação do mercado de trabalho gradual ao longo do ano de 2021.

A partir de 2022, os pontos colocados em pauta foram um ambiente econômico mais estável que permita a elevação da confiança dos agentes, a recuperação do mercado de trabalho e a expansão da demanda doméstica.

Além disso, são esperadas a aceleração do crescimento mundial com maior impulso aos setores exportadores, sobretudo de commodities; e uma maior estabilidade econômica, propiciando uma retomada mais significativa dos investimentos nos próximos anos, com destaque para o setor de infraestrutura, gerando efeitos sobre a produtividade da economia.

A expectativa é de que a carga encerre o ano com 66.793 MW médios, um aumento de 1.019 MW médios em relação à previsão da segunda revisão quadrimestral de 2020. Quando comparado com o realizado de 2019, a carga para 2020 registra uma redução esperada de 1,5%.