B3 lança selo de confiança para o mercado de energia

309

São Paulo – A B3 lançou o selo de confiança para o mercado de energia, um produto que, por meio de uma metodologia própria de avaliação, permite identificar o risco inerente a cada agente do mercado livre de energia (compradores, comercializadoras, geradoras), com o objetivo de proporcionar maior transparência sobre o risco de contraparte nas negociações de contratos de compra e venda de energia elétrica.

“É um produto de adesão e as empresas que optarem por participar devem prestar informações sobre as empresas com as quais estão negociando contratos de energia, como governança, e a partir da análise dessas informações, a B3 fará uma análise do risco, de acordo com critérios estabelecidos e informados publicamente”, disse Fabio Zenaro, diretor de Produtos de Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3.

A empresa aposta no crescimento do mercado de energia para incentivar a adesão ao produto por agentes do mercado, usando sua experiência no mercado de intermediação, pois enxerga oportunidades a partir de similaridades existentes entre o mercado financeiro e de comercialização de energia elétrica, como gestão de riscos.

Segundo Ana Beatriz Vieira de Mattos, superintendente de novos negócios da B3, o produto foi criado em conjunto com empresas do mercado de energia, para atender as características desse mercado. A companhia publicará um ofício com informações sobre o modelo e os critérios para aderência a este modelo.

Desde 2015, a B3 oferece a operação de derivativos de balcão, de forma mais pontual, nas modalidades termo, swap e opção.

“Vimos que há um potencial de desenvolvimento desse mercado. Parece factível ter uma clearing de energia, mas o mercado ainda não está preparado, é preciso educar o mercado. A negociação de derivativos é diferente da negociação física, em relação a tributação e outros aspectos”, disse Zenaro.

Entre as evoluções que a B3 visualiza para o mercado de energia está a migração do giro físico para o mercado de derivativos financeiros.

“Há uma série de mecanismos, como chegar à uma clearing de energia, para negociação de contratos futuros, negociação de risco bilateral, agente de cálculo e outras soluções de intermediação.”