Braskem nega operação em terreno na BA

336
Foto: Divulgação/Braskem

São Paulo – A Braskem informou que nunca teve operação no município de Madre de Deus, na Bahia, mas que há mais de 30 anos houve um vazamento de produtos químicos no terreno da Companhia Carbonos Coloidais (CCC), que eram de propriedade da Tecnor e podem ter sido adquiridos de produtores nacionais à época, entre eles da Petroquímica de Camaçari, posteriormente incorporada pela companhia.

“Tanto a CCC, quanto a Tecnor são empresas que nunca possuíram qualquer relação societária com a Braskem e não têm mais nenhuma atividade operacional”, diz o comunicado.

A resposta acontece após a coluna de Lauro Jardim, no jornal “O Globo”, afirmar que a Braskem teria mais esse problema a resolver, assim como de Maceió (AL) por contaminação de solo.

Segundo a petroquímica, em função da sua experiência na indústria química e petroquímica e respectivos produtos, as autoridades solicitaram a sua colaboração para análise, estudos e remediação ambiental, com acompanhamento pelas autoridades locais, o que vem acontecendo desde 2003, não estando relacionada com a eventual venda da companhia.

Para as ações de remediação, a Braskem estima o valor de aproximadamente R$ 110 milhões, que já foram parcialmente provisionados.