Brasil é incapaz de continuar pagando auxilio mensal de R$ 600

251
Presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, fala com imprensa durante a apresentação do Relatório de Inflação no edifício sede do Banco Central do Brasil. (Foto: Raphael Ribeiro/BCB)

Brasília – O Brasil é incapaz de continuar pagando um auxílio emergencial mensal de R$ 600, afirmou o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante apresentação do Relatório Trimestral de Inflação. “Obviamente temos uma preocupação fiscal, entendemos que não se pode seguir pagando R$ 600 por mês”.

Segundo o presidente, o cenário ideal par ao BC seria aquele em que o auxílio emergencial deixaria de existir, ou seria reduzido e o efeito poupança voltaria para economia. “Acho que o cenário ideal e onde o auxílio deixaria de existir ou diminuiria e o efeito poupança tende a volta para economia juntamente com o crescimento. Isso é nosso cenário ideal, queda no auxílio e reincorporação da poupança no consumo”.