Bolsonaro diz que Coronavac tem eficácia baixa e não deu certo no Chile

Presidente Jair Bolsonaro discursa após cerimônia de posse do Ministro de Estado da Cidadania, Joao Roma, e do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni e sanção da Lei da Autonomia do Banco Central. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a vacina Coronavac, do laboratório chinês Sinovac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, do Governo de São Paulo. Segundo Bolsonaro, a vacina chinesa tem uma eficácia muito baixa, o que poder ser comprovado pelo aumento de casos no Chile. Bolsonaro deu entrevista nesta manhã para rádio Banda B, de Curitiba.

“Sabemos do problema que a vacina chinesa vem causando, aqui e no Chile, onde não deu certo, com pessoas infectadas e reinfectadas. Sabemos o problema que ela tem. Vacina a gente só compra após aprovação pela Anvisa. A primeira vacina aplicada no mundo foi em dezembro e a gente começou a aplicar em janeiro, todas aprovadas e compradas pelo Governo Federal. Vocês são jornalistas, é só ir nos postos de saúde de São Paulo e saber que as pessoas estão rejeitando a Coronavac. Ela já não deu certo no Chile”, afirmou.

Bolsonaro também voltou a defender o tratamento precoce para a Covid-19. “Defendo o tratamento precoce, fui tratado assim e 200 servidores nossos se recuperaram desta forma. Houve uma politização neste sentido e vidas deixaram de serem salvas por isso”.