Bolsa e dólar fecham estáveis sem definição sobre pacote nos EUA

304
Gráfico

São Paulo – O Ibovespa reduziu ganhos no fim do pregão acompanhando a piora das Bolsas norte-americanas e fechou praticamente estável, com alta de apenas 0,01%, aos 100.552,44 pontos. Investidores acompanharam o noticiário em torno do pacote de estímulos econômicos nos Estados Unidos, com autoridades se mostrando otimistas sobre as negociações, mas sem conseguir atingir um acordo até o momento, o que tem mantido volatilidade nos mercados acionários.

Na cena doméstica, expectativas positivas sobre balanços trimestrais refletiram ações como as de bancos, ajudando o índice a manter a faixa dos 100 mil pontos. O volume total negociado foi de R$ 25,072 bilhões.

“Ainda há esperança de algo [estímulos nos Estados Unidos] acontecer antes das eleições, o mercado externo está totalmente em cima dessa pauta. O cenário corporativo também está entrando mais forte no radar, com as divulgações de dados trimestrais”, disse o sócio da DNAinvest, Leonardo Ramos.

Mais cedo, a presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi, disse em uma entrevista ao MSNBC que estava satisfeita com a evolução das conversas e que um acordo seria fechado, mas o momento para isso ainda era uma incerteza. Já durante a tarde, o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, disse que o governo fez um ajuste em sua proposta de estímulos, em uma tentativa de convencer democratas. A nova oferta passou a ser de um pacote de US$ 1,9 trilhão, frente a US$ 1,8 trilhão anteriormente.

Há pouco, após o fechamento dos mercados, um assessor de Pelosi disse que ela e o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, continuarão conversas amanhã e que a Casa Branca está próxima de um entendimento com democrata sobre os estímulos.

Entre os papéis, os de bancos como os Itaú Unibanco (ITUB4 0,98%), mantiveram a toada positiva dos últimos dias, na expectativa de balanços trimestrais melhores, embora tenham reduzido ganhos ao longo do pregão. “Há a expectativa de bancos possam ter reduzido provisões e possam apresentar resultados trimestrais mais positivos”, disse o sócio da RJI Investimentos, Rafael Weber.

As maiores altas do Ibovespa, por sua vez, foram da Qualicorp (QUAL3 5,47%), da Braskem (BRKM5 5,03%) e da Eztec (EZTC3 4,06%). As ações da Qualicorp dispararam depois que a Rede D’Or São Luiz anunciou que pretende ampliar a sua participação minoritária na companhia, enviando pedido de solicitação à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Na contramão, as maiores quedas foram da do IRB Brasil (IRBR3 -3,38%), da CVC (CVCB3 -2,89%) e da WEG (WEGE3 -5,08%). A WEG mostrou um balanço considerado forte por analistas, o que já era esperado e foi antecipado nos últimos dias.

Na agenda de amanhã, investidores devem ficar atentos a nova conversa sobre o pacote norte-americano e indicadores como os pedidos de seguro-desemprego, índice de indicadores antecedentes e vendas de imóveis nos Estados Unidos.

O dólar comercial fechou com leve alta de 0,10% no mercado à vista, cotado a R$ 5,6160 para venda, em mais uma sessão de forte volatilidade frente ao real, com investidores à espera de novidades em relação às tratativas do novo pacote de estímulo fiscal nos Estados Unidos. Apesar das constantes declarações do Congresso norte-americano e da Casa Branca, republicanos e democratas ainda não fecharam acordo e divergem sobre a nova rodada de estímulos.

Para o analista de câmbio da Correparti, Ricardo Gomes Filho, a forte instabilidade do dólar veio de uma nova onda de incertezas sobre a aprovação do pacote fiscal norte-americano. A economista-chefe da Veedha Investimentos, Camila Abdelmalack, ressalta que a falta de desfecho sobre as tratativas vem provocando forte volatilidade na moeda estrangeira.

“O movimento do câmbio fica muito vulnerável em relação às notícias desse pacote, além das indefinições”, diz. Hoje, a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, garantiu que haverá um acordo para uma nova rodada de estímulos, mas o prazo para que isso aconteça ainda segue indefinido.

“Haverá pacote de estímulos, a questão é quando isso vai acontecer. Estou muito satisfeita com os rumos das negociações sobre o acordo”, declarou. Paralelamente às negociações entre Pelosi e o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, senadores democratas bloquearam a tentativa dos republicanos de aprovar um projeto de lei de US$ 500,0 bilhões em ajuda ao novo coronavírus.

Enquanto isso, o governo norte-americano fez um leve ajuste na proposta de estímulos em uma tentativa de convencer os democratas de liberar os recursos antes das eleições presidenciais, em 3 de novembro. Segundo o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, o novo montante passou de US$ 1,8 trilhão para US$ 1,9 trilhão.

Amanhã, com a agenda de indicadores esvaziada, a estrategista de câmbio do banco Ourinvest, Cristiane Quartaroli, ressalta que o mercado ficará “a mercê” do exterior à espera dos novos desdobramentos sobre as negociações da nova rodada de estímulos.

“Mesmo que saia esse acordo, antes ou após as eleições, a gente sabe que o câmbio continuará pressionado por aqui em razão do cenário fiscal e com a falta de investidores por aqui”, avalia. Ela acrescenta que o mercado também está atento às negociações entre o Reino Unido e a União Europeia após o Brexit – saída dos britânicos do bloco europeu.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) encerraram a sessão com leves altas, apesar de ensaiarem uma tentativa de reversão do movimento no início da tarde, quando chegaram a apagar os ganhos vistos pela manhã. Ainda assim, a movimentação da curva a termo foi estreita, com a ausência de um gatilho para o dia deixando os negócios à deriva, atentos ao vaivém do dólar enquanto aguardam os eventos previstos para amanhã e sexta-feira.

Ao final da sessão regular, o DI para janeiro de 2022 ficou com taxa de 3,25%, de 3,24% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 terminou projetando taxa de 4,58%, de 4,54% após o ajuste ontem; o DI para janeiro de 2025 encerrou em 6,37%, de 6,33%; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 7,28%, de 7,23%, na mesma comparação.

Os principais índices do mercado de ações norte-americano fecharam a sessão em baixa, após oscilarem entre perdas e ganhos no ritmo da incerteza que ronda as negociações sobre uma nova rodada de estímulos.

Confira a variação e a pontuação dos índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: -0,35%, 28.210,82 pontos

Nasdaq Composto: -0,28%, 11.484,69 pontos

S&P 500: -0,21%, 3.435,56 pontos