BNDES financia R$ 500 milhões para Embraer impulsionar plano de inovação

114

São Paulo, SP – O plano de investimentos em inovação da Embraer para o período 2023-2027 vai destinar R$ 650 milhões a projetos de desenvolvimento de novos produtos, processos e tecnologias a serem utilizados para diversificar e aprimorar a linha de produtos e serviços da empresa. Desse total, R$ 500 milhões serão financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com recursos do programa BNDES Mais Inovação.

Os projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação busca incorporar tecnologias digitais para ganhos de eficiência, produtividade, e viabilização de novos serviços, bem como o
desenvolvimento de tecnologias de mobilidade aérea sustentável, com foco em transição
energética e redução das emissões de carbono.

“O investimento significativo do BNDES no plano da Embraer reflete nosso compromisso com a inovação e a competitividade da indústria aeroespacial nacional, impulsionando a pesquisa no país em temas cruciais como emissão zero e inteligência artificial, afirmou o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

Para José Luis Gordon, Diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, o fortalecimento de uma indústria brasileira mais inovadora e digital, verde, exportadora e produtiva é uma prioridade do governo do Presidente Lula e vamos buscar isso com o Plano Mais Produção, em alinhamento com as diretrizes da Nova Indústria Brasil.

O BNDES tem tido um papel fundamental para impulsionar o desenvolvimento de tecnologias inovadoras no Brasil, elevando a competitividade da nossa indústria e potencializando as exportações brasileiras de produtos de alto valor agregado. O apoio aos projetos de inovação no setor aeroespacial brasileiro beneficia não apenas a Embraer, mas toda a cadeia industrial do país e a sociedade brasileira, gerando milhares de empregos de alta qualificação, afirma Francisco Gomes Neto, Presidente e CEO da Embraer.

As iniciativas serão implementadas no Brasil, nos complexos industriais da Embraer nas cidades de São José dos Campos (Unidade Ozires Silva), no Vale do Paraíba, Gavião Peixoto, na região Central do Estado de São Paulo, e Botucatu, no Centro-Sul paulista. Elas se concentram em quatro temas prioritários: emissão zero, inteligência artificial e ciência de dados, indústria 4.0 e competitividade da fuselagem.

O financiamento é aderente à Política Nacional de Inovação (PNI), Política de Defesa Nacional (PND) e Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC). Também está alinhado às missões do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial, por promover: mobilidade sustentável, com eficiência energética; transformação digital da indústria, proporcionando ganhos de produtividade; transição e segurança energéticas; e tecnologias de interesse para a soberania e a defesa nacionais, aproveitando o transbordamento tecnológico entre setores civis e militares.