Biden ameaça Putin com sanções em caso de escalada na fronteira com a Ucrânia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Foto: Casa Branca

São Paulo  – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deixou claro durante uma videoconferência com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, que os EUA e os países aliados responderiam com fortes sanções econômicas em caso de escalada militar na fronteira da Ucrânia. A informação foi divulgada pela Casa Branca por meio de um comunicado.

“O presidente Biden reiterou seu apoio à soberania e integridade territorial da Ucrânia e pediu o fim da escalada na fronteira e o retorno à diplomacia”, diz um trecho da nota.

A Casa Branca informou que a videochamada durou cerca de 2 horas. Dentre os assuntos abordados, estavam o conflito entre Rússia e Ucrânia, além da estabilidade estratégica, um diálogo separado sobre ciberterrorismo (ransomware), assim como um trabalho conjunto em questões regionais, como no caso do Irã.

Relatórios da inteligência dos EUA apontam que Moscou já mantém 175 mil soldados ao longo da fronteira. Há bases de abastecimento, incluindo unidades médicas e combustível na região. A escalada abre margem para começar uma ofensiva militar na Ucrânia em poucos meses.

Por sua vez, a Rússia indicou que tem o direito de mobilizar suas tropas dentro de seu território sem representar uma ameaça a ninguém e denunciou que as acusações de uma alegada “agressão russa” são uma desculpa para a OTAN implantar mais equipamento militar da cerca de suas fronteiras e, assim, esconder suas próprias ações.

Ontem, Biden consultou os líderes da França, Alemanha, Itália e Reino Unido, membros-chave da aliança militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Os cinco “discutiram a preocupação comum sobre o aumento do exército russo nas fronteiras da Ucrânia e a retórica cada vez mais dura da Rússia”.