Alta do dólar afeta lucro das empresas, revela estudo

177

São Paulo, 31 de agosto de 2020 – Um levantamento feito pela Economatica mostra que a receita das 218 empresas não financeiras de capital aberto no Brasil alcançou R$ 785,8 bilhões no primeiro semestre do ano, 7% superior na comparação ao mesmo período de 2019, não considerando Petrobras, Vale, Braskem, Oi, Azul e Suzano, que devido ao nível de variação distorceriam a amostra.

O lucro líquido das empresas, por sua vez, foi de R$ 8,85 bilhões no período, valor 82% menor que o primeiro semestre do ano passado, devido à variação cambial do período. O setor com o maior lucro foi o setor elétrico, que registrou R$ 17,1 bilhões, 7,17% inferior ante igual intervalo de 2019.

A dívida bruta das empresas atingiu R$ 1 trilhão final do primeiro semestre, alta de 30,2% na base anual, enquanto o caixa das empresas registrou elevação de 60%, para R$ 394,4 bilhões na mesma base de comparação.

A pesquisa analisa também que dos 20 setores não financeiros somente os setores de construção e materiais de construção, máquinas industriais e agronegócio e pesca tiveram crescimento de lucratividade entre o primeiro semestre de 2019 e 2020. Os 17 setores restantes registraram queda de lucratividade no período.

Por fim, nove dos 20 setores registram prejuízo, sendo o setor de transporte e logística com o maior prejuízo nominal de R$ 3,86 bilhões, seguido pelo setor de veículos e autopeças com prejuízo de R$ 3,72 bilhões.