Agora que existe o risco de eu ser eliminado, isso existe, diz Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta populares na entrada do Palácio da Alvorada na manhã desse sábado. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira, que não está usando colete a prova de balas, mas disse que corre risco de sofrer um novo atentado. “Eu usei por muito tempo uma cinta para segurar o abdomen e a imprensa dizia que era algo balístico. Não é por aí. Agora que existe o risco de eu ser eliminado, isso existe”, afirmou Bolsonaro.

A declaração foi feita na live semanal, em resposta a um questionamento sobre as medidas de segurança que Bolsonaro tem adotado no exercício da Presidência da República. O presidente disse que não poderia dar detalhes sobre os equipamentos e providência adotadas por questão de segurança.

“Veja você, em 2028, nós começamos a crescer e chegou ao ponto em que o outro lado entendeu que tinha que ganhar as eleições e aí tentaram me matar. Espero que esse processo agora, com um novo delegado da Polícia Federal, ele chegue ao seu final, apontando os responsáveis pela tentativa de homicídio que sofri”, afirmou. “Qualquer chefe de Estado do mundo tem essa preocupação e aqui no Brasil não é diferente”, completou.

Na transmissão, ao falar sobre a Petrobras, o presidente atacou o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmando que o partido foi responsável pela “roubalheira” na estatal, referindo-se ao escândalo do mensalão. Segundo Bolsonaro, mesmo assim, parte da população quer levar Lula de volta à Presidência da República.