Ações da Americanas disparam após Cade aprovar reestruturação societária

94

São Paulo – A ação da Americanas (AMER3) dispara no pregão desta terça-feira após a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovar, sem restrições, a subscrição e integralização das novas ações ordinárias a serem emitidas pela companhia no âmbito do aumento do capital social.

Com a aprovação, a autarquia deu aval à aquisição de participação minoritária por Bradesco, Santander Brasil, Itaú Unibanco, Safra, BTG Pactual e no controle por grupo de acionistas de referência, ligados a Jorge Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Às 15h46 (horário de Brasília), o papel AMER3 avançava 26%, a R$ 0,63, com os papéis indo à leilão por conta de excesso na oscilação máxima permitida durante o pregão de hoje.

O aumento de capital foi aprovado em uma assembleia geral extraordinária realizada em 21 de maio de 2024, de acordo com os termos e condições previstos no plano de recuperação judicial da companhia.

Na última semana, a companhia havia dito que os acionistas de referência e afiliados devem ficar com 49,2% da Americanas após o aumento de capital. Já os credores ficarão com 47,6% da empresa, enquanto os demais acionistas ficarão com 3,2%.

Conforme a lei, o prazo de 15 dias corridos para questionamentos terá início nesta terça-feira (9) e terminará no dia 23. Se neste período o negócio não for questionado por terceiros ou pelo tribunal do Cade, fica definitivamente aprovado.