XP inclui Itaú Unibanco e Alupar nas carteiras recomendadas de julho

231
Foto: Pexels

São Paulo – A XP Investimentos divulgou suas carteiras de ações recomendadas para o mês de julho, com a inclusão de Itaú Unibanco e Alupar e mudanças de exposição em algumas ações que já mantinha em seu portfólio.

A carteira composta pelas dez principais escolhas de seus analistas, a corretora fez quatro alterações: reduziu o peso de Banco do Brasil (BBAS3) para 10%, removeu Arezzo (ARZZ3) e adicionou Itaú Unibanco (ITUB4) com peso de 10%, reduziu o peso de CBA (CBVA3) para 5%, e aumentou o peso de Tim (TIMS3) para 10%.

“No mês de junho, a nossa carteira caiu -9,3%, enquanto isso, o Ibovespa caiu -9,7% durante o mesmo período. Desde o início da carteira, em julho de 2018, ele acumula retornos de +41,1% enquanto o Ibovespa acumula +38,2%”, comentou a XP.

Para a carteira de dividendos, formada por “empresas que oferecem perspectiva de distribuição contínua de lucro aos acionistas e qualidade de gestão”, segundo a XP, a corretora removeu a Grendene (GRND3) e aumentou o peso de Tim (TIMS3) para 20%.

Em junho, a carteira de dividendos caiu -7,8% enquanto o índice Ibovespa teve queda de -9,7% durante o mesmo período. Desde o início da carteira, em julho de 2018, a Carteira Top Dividendos XP deu um retorno de +75,2%, o que se compara com +38,2% do índice.

Para o portfólio de small caps, saiu Vulcabras (VULC3) e entrou Alupar (ALUP11). Neste segmento, a XP tem exposição no setor de Varejo (20%) e Imobiliário e Shoppings (20%) e equilibrada na exposição aos setores de Transporte e Logística (10%), Petróleo e Gás (10%), Elétricas (10%) e Tecnologia (10%). “Além disso, temos uma exposição relevante em Saneamento (10%) e Bens de Capital (10%) na qual o índice Ibovespa tem baixa exposição”, comentou.

Em junho, essa carteira caiu -13,1%, enquanto o Ibovespa terminou o mês com uma baixa de -9,7%. Desde o início da carteira, em maio de 2021, ela caiu -9,9%, comparado com um retorno de -15,4% do Ibovespa, informou a XP.