Xangai e Pequim começam a reabrir à medida que os casos de covid caem

733

São Paulo – As principais cidades chinesas, Pequim e Xangai, começaram a relaxar as restrições da covid-19 no fim de semana, à medida que a contagem de casos locais caiu.

Em toda a China, o número de novos casos com sintomas no continente caiu para 20 no domingo, abaixo dos 54 do dia anterior. A capital Pequim registrou oito novos casos da doença no domingo, enquanto Xangai registrou seis.

Segundo a Reuters, Xangai disse neste domingo que restrições “irracionais” às empresas serão removidas a partir de 1º de junho, enquanto Pequim reabriu partes de seu transporte público, bem como alguns shoppings e outros locais.

“Vamos apoiar e organizar totalmente a retomada do trabalho e da produção de empresas em vários setores e áreas”, disse o vice-prefeito de Xangai, Wu Qing, a repórteres, acrescentando que as restrições “irracionais” impostas às empresas seriam suspensas.

Além de eliminar as restrições para empresas, o governo local vai pedir aos bancos que renovem empréstimos para pequenas e médias empresas no valor total de 100 bilhões de yuans, o equivalente a US$ 15 bilhões.

Também no domingo, a porta-voz do governo da cidade, Yin Xin, disse que Xangai facilitaria os requisitos de testes a partir de quarta-feira para pessoas que desejam entrar em áreas públicas, para incentivar o retorno ao trabalho.

“A atual situação epidêmica na cidade continua a se estabilizar e melhorar”, disse Yin, acrescentando que a estratégia de Xangai está “orientando-se para a prevenção e controle normalizados”.

A China enfrentou um amplo declínio econômico no mês passado, quando os surtos de covid-19 provocaram restrições e bloqueios rigorosos, afetando a fabricação, as vendas no varejo e seu setor imobiliário.