Waller do Fed diz que vê mais dois aumentos de 0,25 pp neste ano

614
Christopher Waller, governador do Fed | Foto: Federal Reserve

São Paulo – O governador do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Christopher Waller, expressou na quinta-feira (13) seu apoio a mais aumentos de juros nos Estados Unidos. Durante um discurso proferido antes de uma reunião realizada pelo The Money Marketeers da Universidade de Nova York, Waller afirmou que “a força robusta do mercado de trabalho e o sólido desempenho geral da economia norte-americana oferecem espaço para apertar ainda mais a política”.

Embora Waller tenha defendido a manutenção das taxas no mês passado, a fim de avaliar como a economia lidava com o recente estresse do setor bancário, ele declarou que os problemas anteriores agora estão no passado. “Agora, temos condições favoráveis para apertar ainda mais a política”, afirmou.

O governador do Fed manifestou apoio a dois aumentos adicionais de 0,25 ponto percentual (pp) ainda este ano, com a expectativa de que o primeiro ocorra na reunião de julho. “Não vejo razão para que o primeiro desses dois aumentos não ocorra em nossa reunião no final deste mês”, enfatizou.

“Se a inflação não continuar a mostrar progresso e não houver sugestões de uma desaceleração significativa da atividade econômica, então uma segunda alta de 0,25 pp deve ocorrer mais cedo ou mais tarde, mas essa decisão é para o futuro”, acrescentou.

Waller observou que a reunião programada para setembro é um cenário plausível para esse movimento do Fed. “Setembro é uma reunião ao vivo para ação se a inflação não estiver esfriando rápido o suficiente”, afirmou o governador.

Os comentários de Waller vêm após a divulgação de dados nesta semana que mostraram uma desaceleração tanto no índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) quanto no índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Embora os mercados já tenham precificado uma alta de 0,25 pp neste mês, as novas leituras da inflação levantaram dúvidas sobre a necessidade de um potencial aumento final de 0,25 pp ainda este ano, como previsto pelo Fed em junho.

Waller destacou que embora os dados de inflação mais fracos sejam positivos, eles ainda não são suficientes para alterar as perspectivas. “Um ponto de dados não cria uma tendência”, ressaltou.

Ele afirmou que precisa ver uma melhora sustentada antes de ter certeza de que a inflação está desacelerando, acrescentando que “a inflação desacelerou brevemente no verão de 2021 antes de piorar muito, então precisarei ver essa melhora sustentada antes de ter certeza de que a inflação desacelerou”.

Além disso, Waller observou que “o mercado de trabalho ainda está muito robusto” e “o crescimento salarial continua acima do que sustentaria o retorno da inflação para 2%”.

Nas últimas semanas, outras autoridades do Fed, como o presidente Jerome Powell e o líder do Fed de Nova York, John Williams, também sinalizaram a perspectiva de mais aumentos, depois que o banco central decidiu manter as taxas estáveis em junho para avaliar o impacto de suas ações passadas.