Ueda, do BoJ, mantém visão otimista sobre inflação e perspectiva de salários

204
Governador do BoJ, Kazuo Ueda | Foto: BoJ

O presidente do Banco do Japão (BoJ), Kazuo Ueda, afirmou que a inflação do país está acelerando como uma tendência, impulsionada pelo mercado de trabalho apertado que está elevando os salários. Ele reiterou a convicção do banco de que as condições para o fim das taxas de juros negativas estão se concretizando.

Durante um discurso no parlamento, Ueda destacou que a economia japonesa provavelmente passará por um ciclo positivo, no qual o crescimento do emprego e dos salários resultará em aumentos moderados na inflação. Ele observou: Os preços dos serviços continuam a subir moderadamente, e acrescentou que a inflação de tendência também está acelerando gradualmente. O presidente do BoJ enfatizou que o Japão está atualmente em um estado de inflação, em contraste com a deflação, e é provável que os preços continuem subindo.

Após os comentários de Ueda, o rendimento dos títulos do governo japonês de 10 anos subiu, com os investidores focando na possibilidade de um fim a curto prazo das taxas negativas. Fontes relataram à Reuters que o BoJ está no caminho certo para encerrar as taxas negativas nos próximos meses, apesar da economia japonesa ter entrado em recessão. Isso ocorre devido aos sinais crescentes de que as empresas continuarão a oferecer salários altos, mesmo em meio a um mercado de trabalho cada vez mais restrito. Uma pesquisa da Reuters indicou que mais de 80% dos economistas esperavam que o BoJ retirasse as taxas de juros de curto prazo do território negativo em abril.

Vale ressaltar que as expectativas de que os custos de empréstimos no Japão permaneçam muito baixos têm pressionado o iene, que chegou a cerca de 150 em relação ao dólar. Esse nível é visto pelos mercados como aumentando a chance de intervenção na compra de ienes pelas autoridades japonesas. Na quinta-feira, o dólar estava cotado a 150,26 ienes.