UE estima aprovar vacina contra Ômicron em 3 ou 4 meses

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) disse que as vacinas existentes contra covid-19 permanecem eficazes até agora, mas que poderia autorizar imunizantes adaptados contra a nova variante Ômicron em três ou quatro meses, se necessário.

“As vacinas existentes permaneceram eficazes até agora, com estudos mostrando que uma dose adicional ou reforço garante imunidade estendida”, disse a diretora executiva da EMA, Emer Cooke, em depoimento ao Parlamento Europeu, segundo comunicado da instituição.

“Caso seja tomada uma decisão científica para adaptá-las, a agência já possui orientações para os fabricantes que planejam modificar as vacinas para lidar com as variantes. A agência também tem um arcabouço legal para autorizar vacinas adaptadas mais rapidamente, o que garantiria que fossem aprovadas em um período de 3 a 4 meses”, disse ela.

Cooker reiterou que a EMA recomendou recentemente a aplicação de uma dose de reforço das vacinas contra covid-19 desenvolvidas pela Pfizer e BioNTech e pela Moderna a pessoas com sistema imunológico gravemente enfraquecido, bem como à população em geral com mais de 18 anos de idade.

Mais cedo, o executivo-chefe da Moderna, Stéphane Bancel, previu uma “queda material” na eficácia das vacinas atuais contra a variante Ômicron e avisou que poderia levar meses para as empresas farmacêuticas fabricarem os novos imunizantes em escala. Os comentários enviaram os mercados financeiros para baixo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou a nova cepa como preocupante na semana passada, pois seu alto número de mutações possivelmente a torna mais transmissível e perigosa.