Sustentabilidade vai criar valor e gerar prêmios para a Vale, diz diretor

683
Briquete de minério de ferro, que será produzido nos hubs. Foto: Valdirene Resende/ Vale.

São Paulo – O CFO da Vale, Gustavo Pimenta, disse que a sustentabilidade é um negócio que vai criar valor para a mineradora, que está investindo em produtos com baixa emissão de carbono, em que espera obter prêmios por essa característica. Ele participou de painel sobre sustentabilidade dos negócios, em evento do Previ, no Rio de Janeiro (RJ), nesta quinta-feira.

Segundo o executivo, a mineradora trabalha em duas verticais, com metais de transição, e têm potencial de liderar esse segmento. “Em Carajás há um grande potencial em cobre e níquel. Somos o maior produtor de níquel na parte ocidental e, em cobre, podemos chegar a 1 milhão de toneladas, de 450 mil t atuais. Também continuamos tendo o melhor minério de ferro do mundo. Só a Vale produz minério de ferro com 65% de teor, o que é fundamental para reduzir o consumo de energia. Somos um dos maiores produtores do mundo, com foco em qualidade.”

Pimenta afirma que a mineração sustentável também engloba ações sociais e não só produtivas. “Hoje estamos investindo de R$ 20 bilhões a R$ 30 bilhões em descarbonização dos negócios, com diversas ações, como descarbonização da frota”, explica. “O maior desafio do nosso setor é a descarbonização, já que somos responsáveis por 8% das emissões de CO2 do mundo”, disse.

A Vale desenvolveu a pelota verde, que produz 80% menos de CO2 e não consome água. “Criamos soluções e produtos para ajudar nossos clientes a descarbonizar. E esperamos que esses produtos terão um prêmio, o que nos coloca numa posição muito única, e pos isso é uma parte fundamental do nosso negócio hoje”, acrescentou Pimenta.