Sob efeito da crise, economia da zona do euro encolhe 12,1% no segundo trimestre

162
Sede do Banco Central Europeu (BCE), em Frankfurt. Foto: Divulgação/ BCE

São Paulo – O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro no segundo trimestre caiu 12,1% na comparação com os três meses anteriores e 15,0% em relação ao segundo trimestre de 2019, segundo dados da segunda leitura publicada pela agência de estatísticas Eurostat.

Os dados confirmam a versão preliminar. No primeiro trimestre, o PIB da zona do euro havia recuado 3,6% na comparação trimestral e 3,1% em base anual.

Na União Europeia (UE), o PIB teve baixa de 11,7% no segundo trimestre em relação ao trimestre anterior (revisão de -0,2 ponto percentual) e baixa de 14,1% (revisão de -0,3 pp) em relação ao segundo trimestre de 2019. No primeiro trimestre, houve queda de 3,2% em base trimestral e de 2,5% em termos anuais.

Esses foram de longe os declínios mais acentuados observados desde o início da série histórica, em 1995, diz a Eurostat, devido aos impactos da pandemia do novo coronavírus e das medidas para conter a propagação da doença.

Entre os Estados membros para os quais existem dados disponíveis para o segundo trimestre de 2020, a Espanha (-18,5%) registrou a maior queda no PIB em relação ao trimestre anterior, seguido por Hungria (-14,5%) e Portugal (-13,9%). A Lituânia (-5,1%) registrou a menor queda.

EMPREGO

O número de pessoas ocupadas diminuiu 2,8% na zona do euro em comparação com o trimestre anterior, após a baixa de 0,2% no primeiro trimestre. Em base anual, o emprego diminuiu 2,9%, depois de subiu 0,4% no trimestre anterior.

Na UE, o emprego subiu 2,6% no segundo trimestre em base trimestral, depois de subiu 0,1% nos três primeiros meses do ano, e em base anual recuou 2,7%, depois de avançar 0,4% de janeiro a março.

Estas foram as maiores quedas desde que os registros trimestrais começaram, em 1995.