RADAR DO DIA: Investidores de olho nos EUA e pacote brasileiro

249

São Paulo – A semana começa com as bolsas operando em alta no exterior, puxada pelas ações de medicamentos após o governo de Donald Trump considerar acelerar uma vacina experimental contra o novo coronavírus desenvolvida no Reino Unido para uso nos Estados Unidos antes das eleições presidenciais.

Além disso, Trump anunciou ontem que a agência reguladora de alimentos dos Estados Unidos liberou o uso emergencial de plasma de convalescentes no tratamento de pacientes do coronavírus no país.

Por falar em eleições, nesta semana é a vez da convenção republicana. Donald Trump vai enquadrar seu primeiro mandato como uma história de sucesso norte-americano na convenção, que contará com legisladores republicanos, funcionários do governo, estrelas do noticiário a cabo e outros conservadores defendendo sua reeleição, de acordo com a agência de notícias “Dow Jones”.

Seguindo a convenção dos democratas, que foi virtual, o evento do Partido Republicano também será em grande parte remoto, com quatro noites de programação em grande parte encenadas em Washington e arredores. Ela começa na Carolina do Norte, quando 336 delegados republicanos se reunirão pessoalmente – sob estritos protocolos de segurança – para nomear formalmente o presidente para um segundo mandato.

Internamente, os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) melhoraram a previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano pela oitava semana consecutiva e preveem, agora, um recuo de 5,46% da economia brasileira, sendo que antes a expectativa era de 5,52%.

A expectativa maior, porém, é pelo anúncio do megapacote de medidas nas áreas social e econômica pelo governo de Jair Bolsonaro que deve ser anunciado amanhã pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Na semana, os investidores devem acompanham com atenção a conferência anual de Jackson Hole, nos Estados Unidos, que reúne os bancos centrais de todo o mundo, enquanto internamente a expectativa é pela divulgação do IPCA-15 e dados de emprego.

EMPRESAS

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) homologou o consórcio Postar como responsável pela realização dos estudos que indicarão alternativas de parceria com a iniciativa privada para gestão dos Correios, após apresentar proposta de R$ 7,89 milhões.

Os acionistas da TIM aprovaram a incorporação da TIM Participações pela TIM com objetivo de ser listada no segmento especial de listagem Novo Mercado da B3.

Os acionistas da Rumo, do conglomerado Cosan, aprovaram o aumento de capital de até R$ 7 bilhões, por meio da emissão de até 317,25 milhões de novas ações ordinárias via follow-on, ao preço de R$ 22 por ação.

O conselho de administração da Vale convocou uma assembleia geral extraordinária para o dia 21 de setembro, com o objetivo de eleger um membro para o conselho fiscal após renúncia de Marcos Troyjo, indicado pela União, que possui ações preferenciais de classe especial, conhecida como golden shares. Para este cargo, a União indicou Bruno Funchal, atual secretário do Tesouro Nacional.

Entre 14 a 20 de agosto, o tráfego total de veículos nas rodovias da CCR registrou queda de 0,3%, sendo que os veículos de passeio tiveram queda de 16,2% e o comercial alta de 12,9%. Sem a ViaSul, o tráfego caiu 5,3% no período, sendo que os leves caíram 19,4% e o comercial teve alta de 6,2%.

A Petrobras fechou um contrato a SPE Rio Ventura, subsidiária da 3R Petroleum, para a venda da totalidade de sua participação em oito campos terrestres de exploração e produção, denominados Polo Rio Ventura, localizados no estado da Bahia, por US$ 94,2 milhões.

O conselho de administração da Transpetro, subsidiária da Petrobras, recebeu carta de renúncia da presidente e conselheira da companhia, Cristiane Elia de Marsillac, alegando questões pessoais.