RADAR DO DIA: Fed e os juros; Balança comercial nos EUA; Reoneração da folha

219

São Paulo, SP – Os índices futuros americanos e as bolsas europeias abriram em queda. O mercado ficará atento ao discurso do vice-presidente para Supervisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Michael Barr, na parte da tarde. Analistas tentam descobrir qual será a postura do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) em sua próxima reunião, em 31 de janeiro.

Antes da divulgação do relatório de emprego (payroll, sigla em inglês) de dezembro, nos Estados Unidos, divulgado na sexta-feira, o mercado apostava no início da queda dos juros a partir de março. Mas os dados mais fortes do payroll esfriaram os ânimos dos analistas, que agora projetam uma queda no fim do segundo trimestre.

Além dos números do mercado de trabalho, o Fomc também estará atento aos dados do índice de preços ao consumidor (CPI, da sigla em inglês) de dezembro, na quinta-feira (11). Em novembro, o índice mostrou uma ligeira alta de 0,1% ante outubro. Hoje também sairão os dados da balança comercial referente a novembro nos EUA.

Por aqui, além da divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro, na quinta-feira, investidores continuam atento à discussão sobre o avanço da medida provisória (MP) 1202/2023, que propõe a reoneração gradual da folha de pagamento de diferentes setores da economia.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, se reuniu ontem (8) com o líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), e o ministro da Relações Institucionais, Alexandre Padilha, para tratar do tema.

A intenção do governo é concentrar o benefício no grosso da força de trabalho, cuja maioria ganha até dois salários-mínimos. Segundo as projeções da Fazenda, a medida deve recuperar R$ 6 bilhões dos R$ 12 bilhões que seriam perdidos com a desoneração total
sobre a arrecadação federal.

Outros R$ 6 bilhões devem ser compensados pela revisão do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse). Criado em 2021, para socorrer o setor em meio à paralisação causada pela pandemia de covid-19, o Perse tinha validade original de dois anos, mas foi prorrogado no ano passado para mais cinco anos.

No setor corporativo, a Eletrobras informou que aderiu ao processo arbitral que envolve a ação direta de inconstitucionalidade (ADI) impetrada pelo governo no Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a limitação do poder de voto da União na empresa. Em dezembro, o Ministro Nunes Marques, relator da ADI, encaminhou o caso para a Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal (CCAF) para tentativa de conciliação e solução consensual e amigável entre as partes”.

A Oi, em recuperação judicial, informou que o Juízo da 7a Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro homologou a renúncia apresentada pelo Banco BTG Pactual ao refinanciamento do DIP Emergencial, bem como ao direito de exigir o pagamento da taxa de rescisão prevista no instrumento de refinanciamento do DIP Emergencial (break-up fee), e autorizou a contratação da Proposta Concorrente AHG nos termos da documentação protocolada em juízo.

A Fitch Ratings atribuiu Rating Nacional de Longo Prazo AAA(bra) à nona missão de debêntures da Vamos Locação de Caminhões, Máquinas e Equipamentos (Vamos), no valor de R$ 550 milhões e vencimento final em 2028.

O Carrefour Brasil informou que seu Conselho de Administração aprovou a Sétima emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até 5 séries, no montante total de, inicialmente, R$ 1 bilhão, observado que a quantidade de Debêntures inicialmente emitida poderá ser aumentada em até 25%, ou seja, em até 250 milhões, caso haja exercício da opção de lote adicional no âmbito da emissão dos CRA.

Em Assembleia Geral Extraordinária da Petro Rio Jaguar Petróleo e na presença de todos os acionistas, foi deliberada a saída da PRIO Luxembourg do quadro acionário da Petro Rio Jaguar, em decorrência de aumento de capital realizado pela PRIO Luxembourg na PRIO Opco, mediante versão da totalidade de ações de emissão do capital social da Companhia de propriedade da PRIO Luxembourg. Com isso, a PRIO Opco passa a ser a única acionista da Companhia, detendo a totalidade das ações de emissão da PetroRio Jaguar.

A Dexco informou que vendeu painéis para a Leo Madeiras, Máquinas & Ferragens Ltda., no período de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2023, no valor total de R$ 51,7 milhões. A Leo Madeiras é controlada pelo Bloco Seibel, que também é participante do Grupo de Controle da Dexco S.A.