Produção de contratos de partilha chega a 899 mil barris de petróleo por dia em julho

521

São Paulo, SP – A Pré-Sal Petróleo (PPSA) informou nesta sexta-feira que a produção média diária dos contratos alcançou novo recorde em julho, com 899 mil barris de petróleo por dia (bpd), com destaque para a produção de Búzios (474 mil bpd) e Mero (217 mil bpd). Deste total, 43,56 mil bpd foram de direito da União.

A produção média diária de gás natural disponibilizado para exportação foi de 3 milhões metros cúbicos (m3) por dia, um resultado 11% maior em relação ao período anterior. A média do total do excedente da União no gás natural disponível foi de 46 mil m/dia, com Búzios respondendo pela maior parte (40 mil m/dia).

Desde 2027, a produção acumulada em regime de partilha superou a marca de 500 milhões de barris de petróleo, desde o início da produção, em 2017, com a então chamada Área de Desenvolvimento de Mero. Hoje, sete contratos estão em atividade, com 13 FPSOs (navio-plataforma) e atingiram o total de 518 milhões de barris produzidos até o mês de julho.

Os campos de Búzios, Mero e Sépia são os principais produtores neste regime. Nestes seis anos, a produção acumulada de gás natural com aproveitamento comercial também cresceu e somou 1,44 bilhão de m.

As parcelas acumuladas de direito da União nestes contratos atingiram, no mesmo período, a marca de 30 milhões de barris de petróleo e de 167,20 milhões de metros cúbicos (m3) de gás natural com aproveitamento comercial.

A produção da União leva em conta o percentual de excedente em óleo de cada campo e o volume de custos recuperados em cada projeto. Por esta razão, as principais contribuições vieram dos campos de Mero, Sapinhoá e Búzios. Em relação ao gás natural da União, a maior parte da produção é oriunda do Campo de Sapinhoá.

Os dados fazem parte do Boletim Mensal dos Contratos de Partilha de Produção, divulgado nesta sexta-feira, 15, pela Pré-Sal Petróleo (PPSA), gestora dos contratos de partilha.