Previsão de déficit primário cai de R$286 bi p/ R$187,7 bi

Foto: Hoana Gonçalves/Divulgação

Brasília – A previsão de déficit primário para 2021 passou de R$ 286 bilhões estimada no relatório extemporâneo de abril para R$ 187,7 bilhões no relatório bimestral de receitas e despesas divulgado hoje pelo Ministério da Economia.

A estimativa atual corresponde a 2,2% do PIB. Segundo o ministério da economia, a redução do déficit é consequência da melhoria da receita, impulsionada pela retomada do crescimento.

O relatório também apontou a possibilidade de redução do bloqueio atual do orçamento em R$ 4,8 bilhões, passando de um bloqueio de R$ 9,3 bilhões para um bloqueio de R$ 4,5 bilhões.

O relatório também apontou a possibilidade de redução do bloqueio atual do orçamento em R$ 4,8 bilhões, passando de um bloqueio de R$ 9,3 bilhões para um bloqueio de R$ 4,5 bilhões. O bloqueio pode ser desfeito ao longo do ano caso haja espaço fiscal para isso. Para desfazer o  bloqueio é necessário sobrar espaço entre os valores do orçamento e o teto de gastos – diferentemente do contingenciamento, quando os valores são congelados a depender do resultado previsto para a meta fiscal.

Em relação ao montante de crédito extraordinário, houve acréscimo de R$ 11,7 bilhões, passando para R$ 99,5 bilhões. De acordo com o ministério, o acréscimo de seu em grande parte para o combate à pandemia e os resultados econômicos decorrentes dela.