Presidente critica vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra Covid

O presidente da República, Jair Bolsonaro. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Brasília – Um dia após a inclusão de crianças de 5 a 11 anos de idade no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro criticou a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para imunização dessa faixa etária. Bolsonaro afirmou que a medida é lamentável, recomendou ao pais que observem os efeitos colaterais da vacina e chamou os defensores da imunização de “tarados por vacina”.

As declarações foram dados à TV Nova Nordeste de Pernambuco, em entrevista nesta quinta-feira, reproduzida na página de Bolsonaro no Facebook. “Anvisa lamentavelmente aprovou a vacinação para crianças entre 5 e 11 anos de idade. A minha filha de 11 anos não será vacinada”, afirmou o presidente.

Bolsonaro recomendou aos pais e responsáveis lerem a autorização da Anvisa e as recomendações do Ministério da Saúde antes de decidir se vacinam ou não as crianças. “Vê se é o caso de vacinar ou não. É um direito, está autorizada (a vacinação), mas é voluntária”, afirmou Bolsonaro.

O presidente perguntou se alguém tinha conhecimento de alguma criança nessa faixa etária que tenha morrido de Covid. Também perguntou aos assessores que acompanhavam a entrevista. “Eu não tenho”, afirmou. O Ministério da Saúde contabiliza 311 mortes de crianças de 5 a 11 anos de idade por Covid entre março de 2020, quando foi decretada a pandemia, e dezembro de 2021. Para o presidente, “se algum moleque morreu” em decorrência da Covid-19 foi porque tinha outros problemas de saúde, como obesidade.

“Você vai vacinar o teu filho contra algo que o jovem por si só, uma vez pegando o vírus, a possibilidade dele morrer é quase zero? O que que está por trás disso? Qual o interesse da Anvisa por trás disso aí? Qual o interesse das pessoas taradas por vacina? É pela sua vida, pela sua saúde? Se fosse, estariam preocupados com outras doenças”, questionou Bolsonaro.

Ao falar do desempenho de seu governo, o presidente destacou que, nestes três anos, enfrentou dois anos de pandemia, com medidas de isolamento social para combate à Covid-19. Para Bolsonaro, governadores e prefeitos tomaram medidas descabidas, como a exigência de comprovante de vacinação em várias cidades para participação em eventos e acesso a locais públicos.

“Barbaridade, covardia o que estão fazendo com a população brasileira. Medidas que nunca se viu no Brasil. Essas pessoas têm viés ditatorial, autoritário, muitos à frente de prefeituras e governos estaduais que estão te oprimindo, tirando a tua liberdade”, afirmou Bolsonaro, acrescentando que a vacina é voluntária e que não cobrará passaporte vacinal. “Mesmo porque gente com a terceira dose está morrendo”, completou.