Petrobras coloca navio-plataforma em produção no pré-sal da Bacia de Santos

469
Foto: Divulgação Petrobras - Plataforma P-71, no pré-sal da Bacia de Santos.

São Paulo, SP – A Petrobras informou que colocou em produção hoje o navio-plataforma Sepetiba, no campo de Mero, bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. Esse é o terceiro sistema de produção de Mero, com capacidade para produzir diariamente até 180 mil barris de óleo e comprimir até 12 milhões de metros cúbicos de gás. A plataforma é do tipo FPSO, ou seja, é uma unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência, da sigla em inglês.

O FPSO Sepetiba faz parte de um sistema de produção que inclui a perfuração e a preparação do poço para a produção (completação) de oito poços produtores e oito poços injetores de água e gás que estão sendo interligados à unidade.

A unidade possui tecnologias inovadoras para aumentar a eficiência na produção e, além disso, viabilizar a atividade de CCUS (Carbon Capture, Utilization and Storage), onde o gás rico em CO2 é reinjetado no reservatório e reduz as emissões de gases de efeito estufa na atmosfera.

A Petrobras afretou o FPSO Sepetiba da SBM, que também o construiu, para ser a terceira unidade produtora do campo de Mero, de um total de cinco, já que duas ainda serão instaladas.

Mero produz diariamente cerca de 230 mil barris de óleo e 15 milhões de m3 de gás. Trata-se de um campo unitizado, operado pela Petrobras (38,6%), em parceria com a Shell Brasil (19,3%), TotalEnergies (19,3%), CNPC (9,65%), CNOOC (9,65%) e Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA) (3,5%), como representante da União na área não contratada.

GÁS NATURAL

A Petrobras informou que, em conjunto com Equinor Energy do Brasil, assinou os contratos do Sistema Integrado de Escoamento de gás natural da Bacia de Campos (SIE-BC) e de acesso à Unidade de Tratamento de Gás de Cabiúnas (UTGCAB).

Com isso, a Equinor poderá escoar o gás natural oriundo do campo de Roncador, localizado na Bacia de Campos, a partir de 1 de janeiro de 2024. A Equinor tem 25% de participação em Roncador, a Petrobras é operadora do campo e detém os demais 75%.

O SIE-BC é composto por gasodutos de escoamento marítimos e terrestres, de propriedade da Petrobras, que se conectam à UTGCAB, também de propriedade da Petrobras, localizada em Cabiúnas, no Rio de Janeiro.

Por fim, a Petrobras afirmou que cumpre com as disposições da Lei do Gás, realizando o acesso negociado às infraestruturas e viabilizando a diversificação dos agentes em todos os elos da cadeia de gás natural. Atualmente, a Petrobras tem contratos para compartilhamento das infraestruturas da Bacia de Santos (SIE BS e SIP), Polo Catu (BA) e Polo Cacimbas (ES).

FERTILIZANTES

Por fim, a estatal informou que assinou um contrato com a Unigel Participações de industrialização por encomenda (tolling) para produção de fertilizantes nas fábricas de Sergipe e da Bahia.

O acordo é fruto da parceria entre a Petrobras e a Unigel, estando alinhada com o Plano Estratégico 2024-2028 (PE 2024-28) da companhia para produção de fertilizantes. Os estudos para produção de projetos de baixo carbono continuarão em andamento.

Por fim, a companhia afirmou que reforça seu compromisso de liderar a transformação e impulsionar uma transição energética sustentável, justa e segura.