ONS: Projeções de Energia Armazenada estão estáveis em todas as regiões

143

São Paulo – O boletim do Programa Mensal de Operação (PMO) da semana operativa que vai de 18 a 24 de maio, divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta sexta-feira, apresenta uma perspectiva de estabilidade nos patamares de Energia Armazenada (EAR). Todos as regiões devem encerrar o mês com percentuais superiores a 70%, sendo o Norte com o indicador mais elevado, 97%. Na sequência estão o Sul, com 86,4%; o Nordeste, com 73%, e o Sudeste/Centro-Oeste, que concentra 70% dos reservatórios de maior interesse para o Sistema Interligado Nacional (SIN), com 71,5%.

As estimativas de Energia Natural Afluente (ENA) ao final do mês segue muito elevada para a região Sul: 285% da Média de Longo Termo (MLT). O ONS, em sintonia com os gestores do setor elétrico e os agentes, tem acompanhado os impactos das chuvas no estado do Rio Grande do Sul, visando manter a operação do Sistema Interligado Nacional (SIN) segura e garantir o atendimento às demandas de carga na região. O comportamento da ENA para os demais subsistemas é, no entanto, de afluência abaixo da média para o período tipicamente seco em curso: 82% da MLT no Norte; 59% da MLT no Sudeste/Centro-Oeste; e 43% da MLT no Nordeste.

As projeções para a demanda de carga se mantêm em expansão. Com exceção do Sul, o SIN e todas as regiões têm percentuais superiores ante às revisões iniciais. O SIN deve acelerar 7,7% (78.685 MWmed). Entre os submercados, a maior expansão deve ser verificada no Sudeste/Centro-Oeste, 9,7% (45.259 MWmed); seguida pelo Norte, com 6,3% (7.654 MWmed); e pelo Nordeste, com 6,1% (13.073 MWmed). Por fim, o crescimento da demanda de carga no Sul deve ser de 3,5% (12.699 MWmed). Os números são comparações entre as estimativas de maio de 2024 ante o verificado no mesmo período de 2023.

O Custo Marginal de Operação (CMO) está em R$ 2,30 e igualado em todos os subsistemas.